Órgão considera que a novela tem temática violenta, estigma, e discriminação a homossexuais

Suzana Pires grava cena em que sua personagem Marcela leva um tiro: violência
AgNews
Suzana Pires grava cena em que sua personagem Marcela leva um tiro: violência
Quando “Fina Estampa” estreou na Rede Globo, no dia 23 de agosto, foi classificada pela emissora como uma novela imprópria para menores de 12 (doze) anos de idade. Quase três meses depois, o Ministério da Justiça deu seu parecer quanto à classificação da obra.

Nessa terça-feira (22) foi publicado um despacho do Diário Oficial da União em que era discutido se o caráter do programa é ou não próprio para a classificação atual.

Saiba o que vai acontecer nos capítulos de "Fina Estampa"

De acordo com o texto, no começo deste mês, em 03 de novembro, a emissora foi formalmente advertida pelo departamento de justiça, que constatou por monitoramento “que a obra apresentava conteúdos violentos, cenas envolvendo prostituição, estigma, preconceito e violência familiar - todos inadequados à classificação atribuída pela emissora”.

Após receber as justificativas da Rede Globo, o departamento de Justiça decidiu deferir a continuidade da autoclassificação, mas não sem um aviso bem claro: devido à violência e estigma, vai continuar monitorando a obra.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.