Ator se destaca na novela "Cordel Encantado" e fala sobre o personagem que ama três mulheres ao mesmo tempo

Mouhamed Harfouch interpreta o Farid na novela
Divulgação/Daryan Dornelles
Mouhamed Harfouch interpreta o Farid na novela "Cordel Encantado"

Mouhamed Harfouch não tinha ideia do tamanho do sucesso de seu personagem na novela "Cordel Encantado" até ser abordado por uma senhora na academia onde malha no Rio de Janeiro. "Ela disse para mim: Eu quero que você fique com as três!", relembra ele durante uma descontraída conversa com o iG Gente .

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

O ator interpreta o divertido Farid na novela das seis da Rede Globo, personagem que tem dado o que falar entre o público. Principalmente o masculino. Em pleno Nordeste do início do século passado, o árabe tem três mulheres, Bartira ( Andréia Horta ), Neusa ( Heloísa Perissé ) e Penélope ( Paula Burlamaqui ). Mas jura que ama as três e sofre por amor.

Situação muito distante deste carioca de 33 anos que é casado há um ano e meio com a advogada Clarissa . "O amor requer cuidado, companheirismo. Várias coisas, não só o sexo", declara ele.

Mouhamed Harfouch:
TV Globo
Mouhamed Harfouch: "Nunca achei esse personagem um mulherengo"
Mouhamed, que começou sua carreira no teatro aos 15 anos, comemora o sucesso de sua quarta novela: desde a estreia em abril, "Cordel Encantado" tem batido recordes de audiência na emissora. Até já reclamaram para ele que a trama deveria passar no horário nobre. "Não só para mim, mas para várias pessoas."

Confira o que vai acontecer nos próximos capítulos de "Cordel Encantado"

Nesta quinta-feira (14), vão ao ar as cenas em a poligamia de Farid será descoberta. Confira trechos da conversa com Mouhamed Harfouch:

iG: Acredita que um homem pode amar três mulheres ao mesmo tempo?
Mouhamed Harfouch:
Acredito que a gente não pode duvidar de ninguém. Quem somos nós para julgarmos o que acontece no coração de outra pessoa? É possível sim um ser humano amar três pessoas. Somos todos diferentes. Mas eu não conseguiria. Pela minha cultura, experiência de vida, acho que é muito mais saudável você se dedicar a uma só. O amor requer cuidado, companheirismo, várias coisas, não só o sexo. Você se dedicar de verdade a uma pessoa seria o ideal.

iG: Então sua mulher pode ficar tranquila em relação a isso.
Mouhamed Harfouch:
É tão bom você dividir a sua vida com uma pessoa. Estar com alguém que batalha junto com você e te apoia, que te estimula, que te dá força quando você está mais fraco. Eu tenho isso com a minha mulher, a Clarissa. Ela se diverte muito comigo. Bate o texto da novela comigo e ela inclusive torce pelas três mulheres! (risos)

Bartira, Neusa e Penélope descobrem que estão sendo enganadas. Cena vai ao ar nesta quinta-feira (14)
Divulgação/Rede Globo
Bartira, Neusa e Penélope descobrem que estão sendo enganadas. Cena vai ao ar nesta quinta-feira (14)
iG: O Farid ama mesmo as três mulheres do jeito que ele fala?
Mouhamed Harfouch:
Gravei neste final de semana e ele vai sofrer muito. Isso vai mostrar todo o amor que ele sente por essas mulheres.

iG: Esse é o seu primeiro papel de destaque na TV. Como tem sido recebido pelo público?
Mouhamed Harfouch:
Volta e meia eu tenho escutado na rua: ‘rapaz, você vai apanhar dessas mulheres’.Uma senhora na academia me falou: ‘eu quero que você fique com as três!’. Achei que as mulheres iam ficar bravas comigo, mas não.

iG: E com o público masculino?
Mouhamed Harfouch:
O Farid virou meio um ídolo dos homens. Escuto muito também um ‘tá mandando bem, hein?’. ‘Esse cara tem um fôlego!’. É óbvio que isso mexe com o imaginário dos homens. O proibido é sempre uma coisa que mexe com os homens. Tanto é que essa poligamia na TV não é uma coisa que começou agora. É claro que a gente trata isso de uma forma cômica e lúdica. Ele é tratado como sultão. Mas posso dizer que realmente ele ama aquelas mulheres. Nunca achei esse personagem um mulherengo. 

iG: “Cordel Encantado” tem recebido ótimas críticas e até outros atores, como Regina Duarte, já declararam que estão adorando a trama. Está feliz de fazer parte desse projeto?
Mouhamed Harfouch:
“Cordel” resgata as novelas de época com uma pegada não tão histórica. A gente faz uma coisa de época, mas para o lado do encantamento, do conto de fadas. As autoras souberam compreender e são antenadas com uma necessidade do público. Sonhar é uma das capacidade mais bonitas do ser humano. Essa novela traz isso. A realidade é ótima, mas a fábula também é.

iG: Acredita que ela poderia estar até no horário nobre?
Mouhamed Harfouch:
Até hoje ninguém chegou pra mim e falou mal da novela. A única coisa que as pessoas falam às vezes é que ela deveria ser no horário das nove, é uma coisa que eu ouvi muito. Não só para mim, mas para várias pessoas.

TV Globo
"Farid vai entrar para a galeria dos personagens mais inesquecíveis", diz Mouhamed Harfouch
iG: E como foi sua preparação para viver Farid?
Mouhamed Harfouch:
Meu personagem é maravilhoso porque resgata a presença do árabe no nordeste. No teatro, fiz um espetáculo ligado à fábula, mas principalmente do Nordeste. Era uma obra do Ariano Suassuna . Com essa novela eu consigo resgatar muito da minha memória teatral. É uma imensa alegria.

iG: Mudou algo na sua carreira depois que você entrou para a televisão?
Mouhamed Harfouch:
Todo ator é meio vinho, né? Ele acaba maturando e mudando em cada personagem. Vou sempre ter o maior orgulho do Farid, que vai entrar para a galeria dos personagens mais inesquecíveis. Eu não sabia do sucesso da novela. Estou tendo a oportunidade de ter um reconhecimento do público que até então eu não tinha. É um trabalho de uma grande possibilidade artística. É óbvio que é um divisor de águas.

iG: Como está sendo atuar com Andréia Horta, Heloísa Périssé e Paula Burlamaqui, suas três mulheres na ficção?
Mouhamed Harfouch:
É uma coisa de marido e mulher mesmo, a gente lida com três temperamentos, tem que ter sensibilidade de entender o momento e o espírito de cada uma e a parceria que a gente tem se estabelece. A gente tem um casamento com a equipe inteira mas principalmente com elas. A Heloísa é comediante maravilhosa. A Paula é um grande atriz de televisão e a Andréia é uma jovem talentosíssima. Se o Farid está fazendo sucesso, toda a reação na rua, eu devo a elas e ao nosso trabalho.

iG: A novela está recheada de nomes fortes como Osmar Prado, Zezé Polessa ou Matheus Nachtergaele.
Mouhamed Harfouch:
Tenho na minha frente grandes talentos. Osmar Prado me ajuda muito. O Luiz Fernando Guimarães... O Luiz é uma figuraça, é um ídolo meu. Às vezes eu olho e não acredito que estou falando com ele. É um cara que eu sempre curti desde moleque.

iG: Que rumo você acredita que sua carreira vai seguir após “Cordel”?
Mouhamed Harfouch:
Quando uma obra dá certo, ela é uma vitrine para todo mundo, abre portas pra você. A consequência de um bom trabalho, é virem novos trabalhos. Venho de uma novela das seis e uma das sete, eu nunca fiz uma das nove, essa é minha terceira novela. Me interesso verdadeiramente por bons papeis, não importa qual horário for. A emissora que estou também te dá toda visibilidade tanto nacional como internacional.

iG: Você quer estar numa novela das nove?
Mouhamed Harfouch:
Claro, é óbvio que eu quero. Fiz muito mais teatro na minha vida e não acho que o lugar do ator é só no teatro. O lugar é sempre atrás de contar uma boa história. Espero que essa novela me abra espaço para o cinema, como uma novela das nove, uma boa peça de teatro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.