Eva Wilma sobre Tia Íris e Alice: “O casal existe”

A atriz conta que no final de "Fina Estampa" as duas assumem o romance e que Tereza Christina pode ser filha de seu marido

Júlia Leão, especial para o iG Gente |

Reprodução
Eva Wilma sobre Carlos Zara: “Nossa ligação era muito forte então, mesmo depois de quase 10 anos, ele continua bem pertinho de mim”
Se você faz parte dos que torcem por um desfecho com beijos na última cena da Tia Íris (Eva Wilma) e da Alice (Thais de Campos) em “Fina Estampa”, prepare-se para um final irreverente. Apesar da troca de carinho não acontecer explicitamente, o par concretizará a união com um romance pelas estradas a bordo de um caminhão de corrida. Em entrevista ao iG Gente, Eva Wilma falou sobre a última aparição do casal, que apesar de inusitada, vai abordar o homossexualismo na terceira idade de forma sutil. “Para desmistificar o amor entre o mesmo sexo e combater a homofobia, o autor trabalhou durante toda a novela. O casal existe para quem vê e assim será no final”, diz a atriz.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades

Reprodução
Eva Wilma sobre Carlos Zara: “Nossa ligação era muito forte então, mesmo depois de quase 10 anos, ele continua bem pertinho de mim”


Mesmo não havendo cenas picantes entre as duas personagens, a atriz conta que o fim da mãe de Álvaro (Wolf Maya) será romântico e sagaz. “O Aguinaldo Silva (autor da trama) vai encerrar a novela com uma cena muito inteligente. A Tia Íris e a Alice chegam montadas em um caminhão em Greenville, vilarejo da minha personagem Maria Altiva na novela ‘A Indomada’ (1997), para lá enfim viverem seus sonhos”, revela. “Mais que isso, a última cena será das duas passando por várias cidades cenográficas, como ‘Roque Santeiro’ e ‘Porto dos Milagres’, relembrando a vida que tiveram juntas e comemorando o desejado futuro.” Eva também explica que o beijo não é o desfecho ideal para o par homossexual de “Fina Estampa” pois sua personagem foi criada em cima de um enredo de humor e não de quebra de paradigmas. “A Tia Íris tem uma ingenuidade burra, o que cria uma qualidade de comédia fantástica. O desfecho tinha que acompanhar esse timing. Uma cena chocante no final iria contra toda a trajetória construída”, afirma ela.

Homenagem a Maria Altiva

Convidada especial de Aguinaldo Silva para fazer uma releitura de seu papel em “A Indomada”, Eva Wilma disse que quase não se conteve de alegria ao receber a notícia. “Queria dar abraços nele. Foi um dos maiores prazeres da minha vida ser convocada para representar alguém com características tão semelhantes as de Altiva. Ela marcou minha vida profissional. Foi e será um sucesso da televisão brasileira”, conta. “Por que não terminar 'Fina Estampa' também soltando um ‘Oh my God’ arretado?”

Reprodução
Eva Wilma sobre Carlos Zara: “Nossa ligação era muito forte então, mesmo depois de quase 10 anos, ele continua bem pertinho de mim”
O segredo de Tereza Cristina

Sobre o mistério de Tereza Cristina (Christiane Torloni), Eva não revela a chave da questão, mas afirma que a Rainha do Nilo é mesmo sua sobrinha e deixa no ar o suspense sobre a paternidade da vilã. “É chocante pois marcou a vida da Tia Íris desde o nascimento da criança”, diz. Ao que tudo indica e o que Eva deixa entrelinhas, a vilã é filha do falecido marido de Tia Íris, que teve um caso com sua irmã.

A paixão por Carlos Zara e pela arte

Quando a conversa se direciona ao futuro, Eva Wilma garante que não quer ficar longe das telinhas por muito tempo. “Ainda não tenho nada em vista, mas meu próximo personagem já é aquele que tenho mais vontade de representar, e logo”, diz. A atriz de 78 anos, que está na Rede Globo desde a década de 1980, conta que atuar é seu vício. “Eu me entrego no que faço, de maneira a expressar o momento que estou vivendo. Sem a arte, seja no palco ou no set de filmagem, é como se eu ficasse sem movimentos, sem terapia, sem nada.”

E se a entrega é algo que revigora o presente, o passado a conforta. Ao falar sobre seu marido e companheiro de cenas, o ator Carlos Zara, que morreu em 2002, a voz amacia e ela deixa escapar que sente diariamente sua presença., completa. Questionada sobre o amor, aos risos diz que não pensa mais nisso, mas que caso seja necessário, encararia as novas pistas de dança das baladas cariocas para encontrar um outro alguém. Alguém duvida?

Reprodução
Eva Wilma sobre Carlos Zara: “Nossa ligação era muito forte então, mesmo depois de quase 10 anos, ele continua bem pertinho de mim”


 

Leia tudo sobre: Eva WilmaFina EstampaChsritiane Torloni

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG