Você certamente já viu Karina Oliani na TV, mas deveria conhecer mais de perto a vida dessa médica apresentadora


Já ouviu falar de Karina Oliani ? Você pode não unir o nome à pessoa logo de cara, como diz o ditado, mas certamente já viu essa médica de 32 anos passando por apuros em algum programa de TV.

Karina figurou na tela do Multishow, da TV Record, da SporTV e fez matérias de suas aventuras para o "Fantástico", na Rede Globo, que a exibiu durante um mergulho com tubarões brancos e uma expedição ao topo do Mundo, o Everest. 

Agora, ela comanda o "Missão Extrema", do canal pago Discovery. Na nova casa, o ambiente parece ser o mesmo - em meio a situações de risco - , mas Karina enfrenta muito mais, e seus limites são testados ao extremo. Mesmo!

Preconceito

Logo no episódio de estreia, em 26 de abril, ela encara uma semana com o exército colombiano, passando fome, sede, exaustão e preconceito por ser a única mulher no quartel. "Mas, no final, fiquei feliz por ser reconhecida pelo meu esforço e fiquei amiga dos soldados", garante.

Karina Oliani: corpão e força para encarar aventuras
Reprodução
Karina Oliani: corpão e força para encarar aventuras

De perto, em um situação cotidiana, é difícil enxergar a força de Karina, A loira de 59 kg, bem distribuídos em 1,67m, passa longe do esteriótipo esperado para alguém que tem no currículo o título de especialista em medicina de emergência e resgate em áreas remotas, sendo a única médica com tal reconhecimento da América Latina. Muito menos tem o físico imaginado para alguém que é bicampeã brasileira de wakeboard e pratica escalada em rocha, motocross, canoagem, stand-up paddle, rapel, hipismo, kitesurf, sandboard, esqui aquático, esqui alpino, snowboard, montanhismo, asa-delta, paraquedismo e bungee jump. Ufa!

Mas engana-se quem pensa que Karina se gaba de seus feitos. "Gente, os verdadeiros heróis são os caras com quem convivi no Peru (extratores de fezes de aves), na Bolívia (extratores de sal) e tantos outros heróis da vida real".

Escova de cabelo

Encarar o trabalho de "apresentadora de aventuras e médica de resgate" só tira Karina do sério quando a privam de uma coisa: sua escova de cabelo. "Sou supervaidosa. Sempre achei que a mulher pode ser aventureira, ser uma mulher forte, mas não precisa deixar de ser mulher. No meu caso, adoro cuidar do cabelo e uma das coisas que mais me incomodou, não foi tirarem minha comida - comia só dois pãezinhos por dia - , foi terem tirado minha escova de cabelo. Falei: 'está virando rasta, dando uns nós'. Gosto muito do meu cabelo, as pessoas até se surpreendem por ele ser longo, não corto por nada", avisa.

Coisas de mulher

É claro que têm coisas que vão além da vaidade para uma mulher, mas a apresetandora está preparada para não rolar uma cólica ou uma vontade súbta de comer chocolate durante a TPM (tensão pré-menstrual) no meio da Floresta Amazônica."Tudo que puder fazer antecipadamente e de maneira definitiva, eu faço. Fiz depilação a laser para não precisar me preocupar com isso e coloquei o Diu. Não sinto cólica e não menstruo mais. Como médica, tenho acesso ao que está disponível para o meu caso", diz.

Namorado

Entre cada gravação, a equipe teve uma semana para descansar. "É aí que aproveito para cuidar do cabelo, fazer uma hidratação, essas coisas", conta. "Também aproveito para ficar com a família, com meu namorado", emenda, sobre os pai, a irmã e funcionário de banco Marcelo Rodrigues. "Qualquer minuto no Brasil, estou ao lado deles. Já cheguei a ficar quatro meses no acampamento do Everest trabalhando. Aí, dá para ligar, fazer skype. O problema foi no quartel porque não dava de jeito nenuhum. Mas meu namorado é uma pessoa maravilhosa, tão compreensiva... Por isso está dando certo há mais de cinco anos", finaliza.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.