Atriz tem nas mãos uma personagem conturbada, cheia de conflitos com a mãe, traumas psicológicos e até prostituição

Sophie Charlotte como Alice
Divulgação/TV Globo
Sophie Charlotte como Alice

Tal qual Alice, aquela do País das Maravilhas, Sophie Charlotte  vai entrar num espiral maluco a partir de 16 de março na pele de uma jovem que tem o mesmo nome da personagem de Lewis Carroll . É em “Babilônia”, nova novela das 21h da Globo, o retorno da atriz após o sucesso de “O Rebu”, trabalho tão intenso quanto promete ser a trama escrita por Gilberto Braga , Ricardo Linhares e João Ximenes Braga . Filha de uma mulher invejosa que pensa em tudo, menos na filha, a vida de Alice dará mil e uma voltas durante os meses no ar.

Para começo de conversa, sua realidade tem pé no oriente. É em Dubai que Inês, papel da gigante Adriana Esteves , cria a filha num jogo de gato e rato nada saudável. Além dos interesses próprios, Inês, em determinado ponto da trama, reencontra a “amiga de infância” Beatriz ( Gloria Pires ), por quem nutre uma admiração que beira a psicopatia. Ao iG , Sophie tentou dar base para a rebeldia de Alice.

“Não sei se o termo exploradora é certo. A Inês idolatra a Beatriz, então o foco nunca esteve muito na filha. É complicado criar uma menina num universo totalmente diferente, em outra cultura, e o foco não estar nessa criação, né? A Alice não foi criada pela mãe com o amparo que ela precisava, e isso enfraquece a relação de cara. Os conflitos vão surgindo, se intensificando e elas já batem de frente desde o começo. Muita água vai rolar para essas duas”, disse.

No clipe apresentado para a imprensa, uma cena com Sophie e Adriana, em especial, chamou atenção. Um tapa na cara trocado, bem dado, estalou no estúdio. “Ah, foi o máximo (gravar a cena). Já não aguentava mais esperar. Eu já tinha esses capítulos em mãos há bastante tempo e ficava me perguntando como seria a hora da gravação. É quase que um botar para fora, vira uma necessidade gravar logo para passar para o próximo bloco, para próxima cena. A Adriana foi maravilhosa e o Dennis ( Carvalho , diretor) também”, contou.

Ela continuou com dados técnicos: “Ele faz questão de colocar uma distância. Não tem um tapa, é só a sensação visual de um tapa, mas, além disso, o texto dito e todo o clima da cena eram importantes. O Dennis nos deu todo tempo que a gente precisou, e nós fizemos da melhor maneira possível”.


De Dubai para o Rio

Grande mudança na vida da jovem será quando ela se mudar de mala e cuia para a cidade maravilhosa. “A ambição dela no começo da novela é pela liberdade. Ela foi criada em Dubai e idealiza o Rio como uma cidade em que ela vai ser o que ela imagina que pode ser. E chega no Rio e dá uma relaxada. Ela não consegue saber qual rumo dar para a vida dela. Fica um pouco perdida”, adiantou.

Uma vez no Brasil, o primeiro sorriso que cruza o caminho de Alice é o de Murilo ( Bruno Gagliasso ). “Não posso revelar muito, o que posso dizer é que todas as viradas da Alice são muito complexas. É um turbilhão de confusão na cabeça dela. E ela conhece um cara e se apaixona perdidamente. Na verdade, a história com o Murilo é de paixão avassaladora”, disse Sophie, sem poder revelar se Alice tem conhecimento, de cara, que Murilo é cafetão.

É por isso, aliás, que mais para o futuro da trama ela vai aparecer como garota de programa. Isso, no momento, não é o que importa, segundo a atriz. “Não é uma característica dela. Os conflitos que ela apresenta são maiores. As brigas com a mãe, a vinda dela de Dubai para o Rio, a chegada em uma cidade que ela sempre idealizou… De cara ela já conhece o Murilo, que é um cara com caráter muito duvidoso… São muitas nuances antes de chegar no ponto de fazer programa. Fica difícil reduzir a personagem a um termo, porque é muita complexidade”, avisou.

Corpo e sedução estão em jogo e para as câmeras. Em “O Rebu” Sophie já mostrou entrega à arte com cenas ousadas de nudez e em “Babilônia” não será diferente. Para ela, nada é motivo de grilo para a cabeça. “Nessa relação com o Murilo realmente tem cena de paixão, mas como estou com uma equipe que confio muito, não tenho nenhuma preocupação. Sobre o corpo, tenho uma personal que me ajuda, mas nada muito além do que eu já fazia. A Alice é uma menina normal, que vem de Dubai, não é alguém que está há muito tempo na academia, sabe?”, comentou.

Convívio com gigantes

Abraçada por Patrícia Pillar em “O Rebu” e agora por Adriana em “Babilônia”, Sophie não tem do que reclamar. A vida tem lhe dado de bandeja a chance de acompanhar grandes nomes de pertinho. “Isso é uma grande escola. É aprender com quem ama o ofício, com quem se dedica e com quem também tem uma ansiedade. Isso foi o melhor alívio que eu senti. É um frio na barriga começar um trabalho novo, e é bacana saber que não sou a única ansiosa esperando a estreia da novela (risos)”, brincou.

“Estou em um momento que estou focada nessa evolução. Quero buscar novos personagens, novos desafios, querendo me desafiar também, me colocar em xeque, de certa maneira. Tive grandes oportunidades e se, com 25 anos, eu fugir de oportunidades, que bobagem que vou estar fazendo. Corri atrás para conseguir isso e agora que tudo está vindo, estou tentando me dedicar ao máximo”, exclamou Sophie.

Noiva de Daniel de Oliveira , a jovem mulher garantiu que a união oficial ainda não tem data - “agora a gente está curtindo o noivado, estamos superfelizes. É isso por enquanto” - , e que não se arrepende e nem lamenta não ter tido uma juventude longe do assédio. “De jeito nenhum. Para mim é um sonho se realizando. Espero continuar trabalhando com isso para o resto da minha vida. Eu me sinto abençoada. Gosto de ter essa responsabilidade, desde pequena eu sempre gostei de ter liberdade, de conquistar minha independência. Sou muito feliz e grata”, falou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.