Domingos Montagner, protagonista de "Sete Vidas", nova novela das seis da Globo, completou 53 anos nessa quinta (26)

Festa de lançamento de 'Sete-Vidas'
Alex Palarea e Marcello Sá Barretto / AgNews
Festa de lançamento de 'Sete-Vidas'


Domingos Montagner , protagonista de "Sete Vidas", nova novela das seis da Globo, passou o dia do aniversário envolvido com os eventos da nova trama. O ator, que completou 53 anos nessa quinta-feira (26), explicou como foi seu dia.

Sem bolo no Projac

"Passei trabalhando, dando algumas entrevistas. Não teve bolo no Projac, mas não tem problema também. Estou feliz, gosto de trabalhar no aniversário, dá sorte”, brincou.

Intérprete de Miguel, o ator falou sobre o novo personagem. "O Miguel me encantou por muitas coisas. Uma foi o convite do Jayme ( Monjardim , diretor), depois como a Lícia ( Manzo , autora) me convidou. Eles esperaram, eu tive que me desocupar outros compromissos antes de aceitar 100%. E o personagem é incrível, fascinante, porque ele sempre deixa alguma coisa pra gente. Gosto de quem não é claro à primeira vista. A gente vai, com o passar do tempo, descobrindo coisas novas e sem muita certeza sobre ele. Me interessa muito isso”, disse.

Doador de sêmen

Na história de Miguel, o personagem vira um doador de sêmen e a atitude tem consequências importantes para a trama. “À princípio, é por dinheiro. Ele tem 18 anos, mora fora do país, vira doador por dinheiro e não faz a menor projeção do que pode transformar a vida dele futuramente”, explicou. 

“Ele tem um histórico pessoal de dificuldades em cultivar relações permanentes. É muito introspectivo, mas, ao mesmo tempo, tem um carisma muito grande. O texto da Lícia é muito realista. Nesse momento de hiperconectividade, é bom refletir sobre espaço e tempo.Acho necessário um momento sozinho, para refletir, pensar", comentou.

O ator também comentou sobre sua complicada relação com a tecnologia. “Sempre tive essa coisa de me recolher. Gosto de hábitos solitários. Sou pouco tecnológico - e não me orgulho disso! Acho que o computador que tinha que se adaptar a mim, porque ele veio depois de mim (risos)”.

Galã

Após alguns trabalhos na Globo, Domingos é considerado um dos galãs da emissora, mas prefere manter o rótulo distante. “Ninguém é convidado para ser galã. Acho uma armadilha. Não me incomoda (o título), mas não me altera. Não entro em novela me sentido galã, acho que isso reduz a possibilidade de trabalhar personagem”, opinou.

E o assédio na rua? “Não escuto lindo, gostoso não (risos). A TV produz uma fantasia e certa intimidade que não existe. É uma falsa noção de intimidade e tudo isso tem que levar em conta. Eu respeito também, porque é um processo que está aí há 40 anos. Não me incomoda. O que incomoda é o assédio ofensivo", finalizou.

          Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.