Regina Casé gravou "Esquenta!" especial para comemorar seu aniversário de 61 anos e falou sobre a relação com a imprensa

Os 61 anos de Regina Casé foram comemorados do jeitinho que a apresentadora gosta: com samba batendo junto com funk, uma bela roda de amigos e comida boa. A festa montada nos corredores do Projac nesta quarta-feira (25) tinha de acarajé a tapioca de salmão, passando por crepe e barraquinha de cachorro quente.

A decoração era amarela e pink, assim como a roupa da aniversariante, que recebeu a imprensa com sorriso de orelha a orelha. "Estou adorando e não faço ideia do que vai acontecer nessa gravação. Não tenho roteiro nem nada", contou nos bastidores.

Festeira desde sempre, Regina disse que ama fazer aniversário. "Eu comemorava até o aniversário da boneca da vizinha. Juro! Nasci em uma segunda-feira de carnaval, então a única coisa chata é que meu aniversário sempre cai ou no meio do feriado ou na quarta de cinzas. Então já desisti de festa (risos). Eu ia fazer alguma coisinha no sábado, mas eram praticamente as mesmas pessoas que estão hoje aqui que eu iria convidar. Para não gravar duas vezes, transferi a festa (risos)."

O programa dominical, aliás, nasceu dos encontros que Regina comanda na sua casa. Ela admitiu que, no começo da brincadeira, não achou que a atração fosse passar dos três meses. E passou. Com a consolidação, claro, vieram as críticas (tanto da galera especializada, quanto do público). Sobre isso, Regina toma cuidado onde pisa, o que ouve e o que lê.

"Todo mundo tem opinião, mas fica parecendo que quem fala mal parece ser o mais inteligente, e quem fala bem é o boboca. Está entendendo? Isso junto das redes sociais é uma mistura bombástica."

Hospício social e viagens de ácido

O resultado dessa mistura bombástica pode ser completamente indigesto para Regina. Com anos de estrada, ela está acostumada a estar no centro dos holofotes e a ser assunto. Essa semana mesmo foi destaque quando repetiu um vestido para ir ao casamento de Fernanda Souza e Thiaguinho .

"Era um vestido lindo, todo bordado, e compararam a uma toalha de mesa. Mas não esquento com roupa, não. O que me deixa triste é falar algo que não aconteceu. 'Regina Casé vai com filha ao sebo e não deixa ela comprar livro'. A minha filha (Benedita) fica arrasada, até chora. Eu também choro às vezes, fico apavorada porque a coisa vira uma loucura. Me atemoriza ver como estamos caminhando para um lugar de hospício social", falou. Regina foi além: "Cara, são viagens de ácido (que as pessoas inventam e publicam, segundo ela). Isso eu acho muito ruim. Eu choro, Benedita chora, todo mundo fica triste e sem entender."

Sem uma gota de botox

Quando o assunto chega na passagem do tempo, a carioca garante que não tem e nunca teve crise de idade. "Até que estou bem para 61 anos, vai? Acho que só quem tem crise é quem para no tempo. Você precisa se reinventar. Imagina, eu ganhei neném com 59 anos! Nem na Bíblia isso acontece, gente (risos)", brincou.

"Medo da morte não tenho porque todo mundo vai morrer. Tenho medo de ficar doente. Aí, sim. Eu rezo todos os dias, porque tenho pavor só de pensar. Engraçado que quando eu era mais nova, achava que estaria já de bengala com 61 anos. Eu pensava na virada dos anos 2000, eu teria 46 anos e achava que estaria velha já. O meu exemplo é a Fernandona (Montenegro). Ela passou réveillon comigo e nós saímos para andar de barco à noite. Ela andava na lateral do barco, ia até a ponta, jogava uma flor… Com 83 anos, gente. E eu com medo dos 46 (risos)", disse.

Sobre a aparência, ela fez caretas para provar que "tudo mexe". "Ó (remexeu os músculos do rosto), cheguei aos 61 anos sem uma gota de botox!", se orgulhou. "É horrível eu falar isso, e sei que tem que passar filtro solar todo dia e tal, mas não passo nada (risos). Eu gosto é de mar, de dançar, de ficar com o Roque (seu filho caçula) no colo horas, depois ficar entrevada da coluna (risos)... É isso, eu gosto de fazer as coisas, de vida. Eu gosto do viver."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.