Âncora do "CQC" fala sobre queda de audiência do programa e comenta possível retorno de Rafael Cortez

Marcelo Tas
Luciano Trevisan/iG
Marcelo Tas

Marcelo Tas foi conferir, na noite de sexta-feira (17), no Rio, a estreia da peça "Nômades", com Andréa Beltrão , e comentou com o iG sobre a queda nos índices de audiência que o "CQC", da Band, vem enfrentando. "De todos os programas caiu, até novelas, 'Jornal Nacional'... Tem uma coisa maior que tem que ser encorajada. A audiência só vai cair daqui pra frente. E não é para se assustar, e sim entender o novo papel da TV aberta. Nós estamos todos reaprendendo", falou.

Reaprender, no caso, seria tentar compreender as novas formas de se assistir a programação da TV hoje em dia, segundo Tas. Computadores, celular, gravadores digitais de TV... São recursos ainda não abraçados pelo Ibope. "Essa é a era de crise grande, nós temos que nos reinventar. Eu estou animadíssimo, é a época mais fascinante que já vivi. Mas nós temos que ter uma discussão melhor qualificada. O Ibope errou nas eleições, imagina se é uma regra ficar debatendo o Ibope para medir televisão? Eu não estou desmerecendo o Ibope, mas até ele tem dificuldade pra entender o que está acontecendo". afirmou.

Tas também comentou a possível volta de Rafael Cortez ao grupo do "CQC". Vale lembrar que ele deixou o programa para ser o novo nome da Record, mas a aposta não foi muito acertada: "Eu adoraria (que Cortez retornasse). Ele é muito agradável, criativo. Eu gosto dele, é muito talentoso, tem a ver com o programa. Não tenho ideia se vai acontecer. Saem muitas coisas que não têm fundamento com a realidade. Mas eu gostaria muito que estivesse nos planos da Band e dele voltar. Antes, acho que ele precisa resolver a situação de showman na Record".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.