A família mais amada da televisão brasileira dá adeus


Lineu (Marco Nanini) e Nenê (Marieta Severo)
Divulgação/TV Globo
Lineu (Marco Nanini) e Nenê (Marieta Severo)

“Essa família é muito unida e também muito ouriçada. Brigam por qualquer razão mas acabam pedindo perdão.” Nesta quinta-feira (11), será a última vez que os telespectadores vão ouvir o samba de abertura de “A Grande Família”, um dos programas que mais fizeram sucesso na história da TV Globo. Foram 488 capítulos, exibidos entre 2001 e 2014, tendo como protagonistas o casal formado por Dona Nenê ( Marieta Severo ) e Lineu ( Marco Nanini ).

Receita certeira

Trata-se do fim da série mais longa da televisão brasileira (a primeira versão foi exibida na década de 1970 e durou quatro anos), que por meio do humor, retratou com muita graça e diversão a trajetória de uma família tipicamente brasileira sempre em sintonia com a realidade do país, pintando um retrato do cotidiano nacional nos últimos anos. A identificação do público foi imediata.

As tramas sempre foram muito bem amarradas, o elenco demonstrou uma sintonia ímpar e o humor nunca caiu na vulgaridade ou no escracho. Houve sempre o cuidado de exibir uma comédia inteligente e que sempre dialogasse com quem assistia. Resultado: ótimos números no Ibope.

Importantes sitcoms norte americanas (comédias de situação), como “Friends”, “Gilmore Girls” e “Will & Grace”, também tiveram muitas temporadas e, em determinado momento, deixaram seus fãs desolados. Sempre, por mais triste que seja, chega a hora de dar um ponto final na história. Independente da vontade do público.

Motivos

Um dos motivos pode ser a preferência por dar fim à uma receita que deu certo, antes dela desandar. Em entrevista ao “Fantástico”, Marieta Severo disse que a ideia do elenco sempre foi terminar o seriado em seu ápice. “Estava na hora. A gente sempre sonhou em acabar com o programa, a gente falava muito isso entre nós, acabar com o programa assim no auge dele ainda. Ainda com uma relação criativa, boa, receptiva com a plateia, com o telespectador. Terminar desse jeito.”

Outro fator é o cansaço do elenco. Fazer parte de um programa tão longevo deve ter deixado os atores enjoados, loucos para fazerem coisas novas. Em entrevista recente, Marco Nanini declarou: “Tudo tem um fim. Fico com nostalgia, mas não é uma tristeza profunda, porque nos entregamos bastante e vivemos tudo que tínhamos para viver nesse programa”.

É triste, mas as malandragens de Agostinho Carrara ( Pedro Cardoso ) e sua relação maluca com a mulher, Bebel ( Guta Stresser ), os divertidos ataques de Lineu (Marco Nanini), o carismático Beiçola ( Marcos Oliveira ) e sua paixão platônica por Nenê (Mariela Severo), as armações de Tuco ( Lúcio Mauro Filho ), e muitas outras situações e momentos marcantes de A Grande Família vão deixar saudade.




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.