Na pele de Fernando, noivo de Cristina, ator comenta sobre traição na ficção: "Muita gente fala 'cuidado, olha essa testa!'"

Erom Cordeiro tem uma missão e tanto nas mãos: continuar na defesa de Fernando em “Império”, mesmo sabendo que o rapaz é, sem dúvida, o obstáculo que impede que o amor entre Cristina ( Leandra Leal ) e Vicente ( Rafael Cardoso ) aconteça. Até quando o noivado com a donzela vai se sustentar, nem mesmo ele arrisca palpite. Por enquanto, só quer saber de tentar proteger o que diz ser de seu personagem. Ou seja, o amor da sobrinha de Cora ( Drica Moraes ).

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

“Acho que a Cristina vai pensar que cometeu um erro e não pode mais pensar nisso. Ela vai querer continuar com o Fernando. Acho que ela vai pensar nesse caso com Vicente como um deslize que ela teve, um acidente. Até quando isso se sustenta, daí eu não sei. A novela dirá”, disse Erom ao iG nos bastidores da novela das 21h da Globo.

Para quem não acompanha a história, Cristina e Vicente se conhecem desde a infância e seus caminhos se cruzaram novamente depois de anos. A faísca do amor, inevitável quando existe, se reacendeu, e a jovem caiu em tentação e beijou Vicente escondido do noivo. “Isso é interessante no texto do Aguinaldo. A Cristina é a mocinha, é a heroína romântica, é a que tem o caráter mais limpo da história toda, é para quem o público vai torcer. O Vicente, ao mesmo tempo, também é esse herói romântico. São duas pessoas de caráter. E daí o Aguinaldo coloca, ela já comprometida, cedendo à tentação. O que é humano. Não é um herói ou uma heroína idealizados, que sejam inatingíveis”, comentou Erom.

“Até então, o Fernando era um cara educado, equilibrado, centrado… Sempre estava ali para ajudar a Cristina para tudo. Quando ele vê que tem algo desequilibrando esse mundo a princípio perfeito, ele se descontrola”, disse o ator, que gravou, no dia da visita do iG ao Projac, uma cena em que Fernando pedia desculpas por suspeitar e brigar com Vicente por ciúmes.

“É aquilo, eu sou a pedra no sapato dos dois (risos). Logo no início da produção da novela, nos primeiros capítulos eu vi a Cristina com esse garoto soltando pipa e ele fala: ‘Eu estou indo embora, minha família está indo embora, mas eu nunca vou me esquecer de você’. Ali já está decretado um amor que alguma hora vai retornar. Quando eu li isso, eu pensei: ‘putz, olha que situação que meu personagem está! Como é que eu vou defender isso?’”, falou.

O jeito foi mergulhar nessa paixão e assumir seu alvo. “‘O Fernando não vai entrar no jogo para perder’, foi o que eu pensei. E acho que quanto mais forte essa demonstração de amor seja, mais forte vai ser a queda. As temperaturas são bem opostas e bem esticadas. Como ator, isso é muito interessante”, avisou.

Espera lá. Daí a pulga caiu atrás da nossa orelha. Existe, então, a possibilidade de Fernando, até então incorruptível, mudar de lado e se tornar vilão? Neste momento, Erom deixa escapar um sorrisinho suspeito. “Eu não falei nada, hein (risos)”, adiantou. “Não, não, eu acho que não. A essência dele é boa, mas, ao mesmo tempo, teve gente que já falou para mim que ainda não entendeu qual é a dele”, completou.

“Acho que bobo ele não é. Na verdade, acho que sempre teve um ponto de interrogação, o que para mim, de certa forma, me estimula. Eu pensava ‘ele está muito prestativo, muito bonzinho demais, o que é que tem aí dentro desse cara?’. Ao contrário dos mocinhos, o Fernando a gente ainda não consegue enquadrar”, disse o ator, que precisa, em cena, quase dar pistas sem, de fato, dar.

Nas ruas, a repercussão tem sido boa - e também bastante engraçada. “Muita gente fala para mim ‘cuidado, hein! Olha essa testa!’ (risos). As pessoas não chegam na rua escolhendo um lado, mas falando do caso com muito bom humor. Tenho consciência que esses pólos românticos, que são Cristina e Vicente, são muito fortes. Agora, como Fernando vai se situar entre eles é o que pode ser interessante, porque tem vários caminhos, dramatúrgicos e de atuação”, avisou Erom.

E se fosse caso de vida real? Dá para perdoar uma traição ou se meter no meio de uma paixão tão avassaladora? “É difícil para caramba. É complicado, mas são coisas que são passíveis de acontecer. Isso depende muito das circunstâncias. Mas eu nunca digo que isso seja uma coisa irredutível, sabe? É uma situação difícil de lidar, eu não sei muito bem. A princípio é uma reação completamente negativa, mas depois da cabeça quente passar, sabe-se lá o que vai acontecer”, opinou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.