Sem classificar a patologia da personagem, atriz divide o título de vilã com outros nomes criados pelo autor Aguinaldo Silva


Fazer novela é uma vida de mão quádrupla. O texto do autor precisa rebater em uma direção detalhada, que reflete em uma atuação cravada para que, assim, o público compre aquela trama e condecore a história com o troféu do sucesso. No caso de “Império”, Aguinaldo Silva não tem do que reclamar. As tiradas que cria para os personagens da novela das 21h da Globo, até quando soam como improváveis, são bem direcionadas e interpretadas. Conclusão: é paixão pelo bom novelão. Um dos nomes que já alcançou o pódio foi Drica Moraes  com a desequilibrada Cora.

Curta fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

Em diversos casos, o que poderia cair no over - como quando ficou presa no armário de vassouras em plena Império das Jóias - se torna um ganho para a dramaturgia. Tudo respaldado por muito estudo e dedicação. No bloco atual, sem querer fugir demais da figura de vilã, Cora tem arrancado risadas do público com sua tara sexual por Robertão ( Rômulo Arantes Neto ). É sobre esse balancê que o iG bateu um papo com a atriz, que continua defendendo a personagem. Aliás, aproveita o gancho para registrar uma denúncia.

"Acho que nessa novela todos são vilões. Tenho essa teoria de que só tem uma heroína, que é a Cristina ( Leandra Leal ), e um herói, que é o Vicente ( Rafael Cardoso ). O resto é tudo bandido. Todos têm um pé na bandidagem, não tem um que sobra (risos). Nem Xana ( Aílton Graça )", garantiu Drica em tom de brincadeira.

O elemento do humor, tão presente na carreira da atriz, ganhou outro tom com Cora. Só serviu para somar, segundo ela. "Para mim é um mistério a cada bloco. Fico tentando decifrar onde Aguinaldo quer chegar com ela. E a surpresa que o público recebe quando vê os capítulos é a mesma que eu tenho quando leio. Para mim, acho que é bom, positivo (a nova fase), a gente fica querendo não sair muito da linha, de um desenho original do personagem… Continuo acreditando que ela é vilã, mas Aguinaldo está guardando cartas para revelar pouco a pouco", deixou no ar.

Drica Moraes
Globo/Paulo Belote
Drica Moraes

A patologia exata da personagem, Drica deixa para os psicólogos e psiquiatras de plantão. Mas dá pitaco e sugere uma psicose.

"Neuróticos todos nós somos. Faz parte do ser humano, e acho que a psicose também. Todo mundo tem um pouco, só que a gente toma cuidado. Não tenho tanto estudo e conhecimento sobre isso, estaria sendo leviana se quisesse aprofundar sobre a patologia dela. Prefiro dizer que não sei qual é a doença, mas acho que está mais para o lado da psicose, das ideias obsessivas. Ela tinha um amor obsessivo pela irmã, depois cultivou uma ideia fixa com o José Alfredo, e depois projetou tudo na sobrinha, vai ter essa coisa sexual também na linha da obsessão…", disse.

Já que o assunto quente entrou na roda, Drica colocou três pulgas atrás da nossa orelha ao rebater a virgindade de Cora, fato antes já até confirmado por Aguinaldo. “Será que ela é virgem? Será? Eu não sei… O Aguinaldo também fala que ela é virgem, mas eu não sei se ela é virgem. Será (faz cara de mistério)? Ela rouba a cueca do Robertão… Eu não sei se ela é virgem ou não. Para mim, ele deixa dúbio”, avisou.

Dúbio também é o limite até onde Cora pode chegar. Comparando com Maria Marta ( Lilia Cabral ), que é ação, Cora ainda não concretizou nenhuma maldade mais séria, como mandar matar alguém. “A gente fala muito aqui (nos bastidores) dessas esquisitices da Cora. Ela tem neuroses arraigadas, o que a torna uma mulher mais maluca. Essas neuroses fazem dela uma mulher sem eixo, desequilibrada. Mas, na verdade, os propósitos dela não parecem ser ruins, parecem ser até bastante razoáveis”, comentou.

Ela continua: “A gente tem vários lados. Aprendemos, com os tempos modernos, com a psicologia, com Freud, com todos os conhecimentos que a humanidade foi adquirindo, enfim, que o imperfeito, o errado, o ruim também é parte do ser humano. Os sentimentos, como a inveja, o ciúme, são sentimentos humanos. O problema é o trato que você dá para eles, o uso que você faz disso”.

O pé no real na figura de Cora é algo que, de acordo com Drica, chama bastante atenção do público na rua. “Tenho um feedback muito dessa loucura dela. As pessoas falam ‘o que que é isso, como que ela faz aquilo…?’. Essa incoerência da personagem mexe até mais com as pessoas do que a vilania. Ela é grossa no jeito de falar, ela é manipuladora… Tem a coisa do rancor, mas tem muita coisa do real. As pessoas comentam que aquela figura é muito real. Eu falo de volta ‘ih, tem muita Cora por aí’ (risos)”, brincou. De uma forma ou de outra, é bom ficar de olho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.