Novela de Manoel Carlos, segundo prévia de audiência, obteve média de 35 pontos; capítulo não teve ponto alto e foi insosso

Com a trajetória que teve, era quase impossível esperar qualquer tipo de comoção com o último capítulo de “Em Família”, exibido nesta sexta-feira (18). A novela que patinou na audiência durante todos os meses no ar terminou... em flauta. Toda a situação envolvendo a morte de Laerte, o personagem vivido por Gabriel Braga Nunes , beirou a comicidade. Para tentar resgatar a coerência e cortar o mal da família de Helena ( Julia Lemmertz ) pela raiz, o autor Manoel Carlos fez Luiza ( Bruna Marquezine ) se casar e ficar viúva na porta da igreja, debaixo de um temporal hollywoodiano.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

Atenção para a cena, exibida entre o quinto e sexto bloco: os noivos deixam a igreja a caminho da festa, felizes, com a família. Um tiro, no melhor estilo bala perdida, atinge o peito de Laerte, que cai na chuva nos braços de Luiza. Com o olhar, o personagem foca nas mulheres com as quais se envolveu durante a história. Shirley ( Viviane Pasmanter ), Helena, Luiza, Verônica ( Helena Ranaldi ) e… Falta uma. Se lembra da jovem pianista, a aprendiz do Laerte? Ah, não sabe o nome dela? A gente conta. É Lívia ( Louise D’Tuani ), que entrou no elenco no meio da história e não fez muita coisa, a não ser tocar piano. A fixação por Laerte, de maneira doentia, surgiu há alguns dias. E sim, foi ela que meteu uma bala no professor por amor não correspondido.

E pronto. Foi assim que terminou a história de Laerte. Não teve velório, enterro, chororô, barraco para prender a assassina… Nem Ana Beatriz Nogueira , que viveu Selma, mãe do flautista, salvou a cena. Para infelicidade geral da nação, a atriz que podia dar um show teve apenas - pasme! - uma fala. E essa foi “quem é?”, direcionada para Verônica ao ver um morto no chão. Triste.

Tantas opções na manga… Fazer Shirley mostra a que veio como vilã (ela se encaixou mais no núcleo cômico) era uma delas. Mas, não. Até o último suspiro de vida tudo que a loira fez foi implorar para que Laerte terminasse com ela. E só para terminar o assunto “assassinato”, a cereja do bolo foi o corte de edição da cena seguinte. De Laerte ensanguentado na porta da igreja, uma passagem de tempo desavisada e um belo dia surgiram no horizonte e, com ele, Nando ( Leonardo Medeiros ) apareceu no Galpão Cultural na porta da aula de dança de sua namorada nova.

Um dos assuntos que ocupou bastante espaço (inclusive o segundo bloco inteiro) foi a busca de André ( Bruno Gissoni ) por sua mãe biológica. O rapaz descobriu que Branca ( Angela Vieira ) era a dita cuja. Foi na mansão, enfrentou a ricaça e ouviu um conto da carochinha que dizia que ele era, na verdade, filho de uma ex-empregada dela. Ele não comprou a história, e ela também deixou transparecer sua mentira. Uma pena que foi tão tarde. Seria um dramazinho a mais para explorar no meio da novela, com luta por herança, por amor, ou por qualquer outra coisa.

No Twitter, a timeline estava cheia com comentários sobre o último capítulo. Mas o fenômeno foi o inverso da emoção causada com uma trama envolvente. Desta vez, internautas capricharam na chamada trollagem, ou o ato de criticar alguma coisa. A ansiedade era maior para o capítulo inédito de “O Rebu” do que para o desfecho dos personagens de Maneco. E antes do ponto final, justiça seja feita: Julia Lemmertz usou as armas que pode para tentar tirar o melhor dessa Helena. Atriz e tanto, assim como tantas outras. E Bruna Marquezine, com todo seu frescor e talento, também merece aplausos.

Ah, e lembra que eu comentei que acabou em flauta? A cena final foi em Paris, com um concerto de Verônica (ela não estava grávida? Não teria uma menina? Cadê a criança?) com Leto ( Ronny Kriwat ). Nada mais entediante. Virgílio ( Humberto Martins ) e Helena surgiram em segunda lua de mel e Luiza jogou um olhar 43 para um jovem músico que conheceu em um café parisiense. Tudo bossa nova, nada rock and roll.

Audiência

A prévia do Ibope indicou que “Em Família” alcançou uma média baixa para último capítulo. Na Grande São Paulo, onde cada ponto equivale a 65 mil domicílios, a novela teve 35 pontos. Para efeito de comparação, “Amor à Vida”, antecessora de “Em Família”, cravou 48 pontos de média na capital paulista com beijo de Félix ( Mateus Solano ) e Niko ( Thiago Fragoso ). Antes dela, “Salve Jorge”, de Gloria Perez , ficou com 46 pontos de média, e o fenômeno “Avenida Brasil” conquistou 52 pontos em 2012.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.