Programa "Como Será?" pretende colaborar para a construção de um mundo melhor

Sandra Annemberg
Daniel Marcusso/iG
Sandra Annemberg

A TV Globo resolveu fundir todos os programas voltados para a educação e/ou institucionais em um só. Dessa mistura nasceu o "Como Será?", que estreia no dia 9 de agosto sob o comando da jornalista Sandra Annemberg , uma das âncoras do "Jornal Hoje". A imprensa participou nesta quinta-feira de um encontro com a equipe para a apresentação do projeto. 

Curtir e compartilhar

Segundo Beatriz Averedo , Diretora de Responsabilidade Social da TV Globo, o ponto de partida, a questão que orientou a criação do projeto foi "Como fortalecer e renovar o compromisso institucional da Globo. Afinal são duas horas de programação na grade da TV dedicadas ao conhecimento. Se trata de uma revista eletrônica sobre a aventura de mudar o mundo. É essa a aposta. Se eu tivesse que resumir, eu diria que é um programa para curtir e compartilhar a experiência. Dividido em uma série de quadros flexíveis, assuntos dos mais variados como locais para aproveitar o fim de semana, o mercado de trabalho, questões ambientais, ciência e até o futuro serão discutidos das mais diversas formas.

Sandra Annemberg
Daniel Marcusso/iG
Sandra Annemberg

Nova dinâmica

Quanto ao conteúdo, "deixam de existir programas como o 'Globo Cidadania', o 'Globo Ecologia' e o 'Globo Ciência' e temos um só. Os temas dos programas serão tratados de uma forma articulada, harmônica, integrada e mais abrangente. Educação é o tema central, é o nosso compromisso, mas vamos falar não apenas de educação formal, mas a educação na família, com os pais, na comunidade, educação ambiental, a própria preparação para o mundo do trabalho. É impossível falar de sustentabilidade, de ecologi, sem falar em educação, é impossível falar de inovação sem falar das questões do mundo do trabalho, enfim, tudo de forma articulada", explica Bia.


Embrião

Sandra Annemberg, que estará no estúdio toda semana chamando as reportagens, fazendo as conexões com o Brasil todo, recebendo especialistas e anônimos, explica melhor como tudo começou. "Há dois anos mais ou menos, é um problema quando eu tiro férias, porque eu volto cheia de gás, com vontade. E fui falar com o (diretor-geral da TV Globo,  Carlos Henrique) Schroder e falei para ele que fiquei pensando durante todos os dias das minhas férias como eu poderia me engajar em alguma coisa ligada à educação, que eu acho que é a única coisa que importa no nosso país. Investir em educação. A gente precisa usar o nosso veículo a favor da educação sempre. Ele entendeu o  recado e disse que surgir uma oportunidade eu te achamo e logo surgiu o "Globo Cidadania". Começamos a fazer o programa e ali surgiu o embrião da vontade de transformar aquilo em uma outra coisa, integrar mais ainda todas essas pontas, todos esses lados que já existem há muito tempo. E aí a gente foi participando dessa discussão até formar esse corpo e a nossa pergunta era sempre 'Como será esse programa? Como pode ser? O que a gente pode fazer? E, portanto, a gente foi fazendo junto esse programa.

Lúcia Araújo, Diretora do Futura, Sandra Annemberg, Beatriz Azeredo, Diretora de Responsabilidade Social e Cristina Piasentini, Diretora de Jornalismo da Globo São Paulo
Daniel Marcusso/iG
Lúcia Araújo, Diretora do Futura, Sandra Annemberg, Beatriz Azeredo, Diretora de Responsabilidade Social e Cristina Piasentini, Diretora de Jornalismo da Globo São Paulo


Respiro

"E eu estou muito feliz de estar envolvida nele porque ele é aquele respiro. Para quem trabalha com notícia como todos nós aqui trabalhamos, de segunda à sexta (exerço) o meu lado hard news. É uma adrenalina, eu amo isso de paixão, eu adoro o Jornal Hoje, eu preciso dessa emoção diária, mas eu preciso também (inspira e solta o ar) desse momento de relaxamento e de conseguir parar para pensar no futuro. Porque na correria do dia a dia a gente vai correndo atrás da notícia. E agora é um momento que a gente consegue se dedicar para sentir o movimento, o movimento desse mundão em que todos estamos envolvidos. Eu queria muito poder fazer alguma coisa e acho que esse é o espaço." Isso indica que ela pense em deixar o telejornalismo futuramente? "Não, não. Eu não sou do tipo de faz planos, mas não tenho a intenção de deixar o jornalismo", como fez Fátima Bernardes , que era âncora do "Jornal Nacional" e hoje apresenta o programa de variedades "Encontros".

Interatividade

Por meio do site do programa, que entra no ar em 25 de julho, o público poderá dividir histórias, ideias, vídeos e fotos, fazer perguntas para os convidados, se inscrever para participar dos quadros. A conexão do programa com os telespectadores também é uma preocupação muito grande do projeto. "Temos a ideia de, na TV, criar uma rede de amigos que inspira e que mobiliza e vai aumentando na mesma dinâmica das redes sociais", explica Azeredo.

Max Fercondini durante a entrevista para a imprensa
Daniel Marcusso/iG
Max Fercondini durante a entrevista para a imprensa


Como Será?

A atração vai ocupar a faixa do "Globo Cidadania", das 6h às 8h. Estão envolvidos o jornalismo da emissora, a área de responsabilidade social, a Fundação Roberto Marinho e o canal Futura. Max Fercondini e Alexandre Henderson também atuarão como apresentadores e Helena Lara Resende, Rogério Coutinho, Julia Bandeira e Mariane Salerno serão repórteres exclusivos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.