De sono são 4 horas, a terapia é via internet e o desejo da maternidade ficou em 2º plano. Mesmo assim, vale a pena e a atriz diz estar em um dos momentos mais importantes da vida

Tatá Werneck tem a mente plugada em 50 mil pontos. Em uma frase, abre espaço para diversos assuntos. Em uma resposta, desvenda alguns mistérios sobre sua hiperativa personalidade quase que sem querer querendo. Aos 30 anos, vive um boom que mais parece sonho. Depois de ralar muito tempo por seu lugar ao sol bem remunerado, ela hoje é aposta certeira dos canais Globo e Multishow. No primeiro, estreia em 2015 “Lady Marizete” na faixa das 19h, e no segundo, estreia nesta terça-feira (15) o “Tudo Pela Audiência” ao lado de Fábio Porchat - que já tem segunda temporada garantida.

O iG encontrou Tatá nos bastidores do “Vai Que Cola”, sitcom do Multishow que começa nova temporada em setembro. Ela faz uma participação como a hilária personagem taxista Heloísa Alves. O texto não estava na ponta da língua, mas quem é gênio se vira nos 30, né? Tatá tem uma relação de profundo respeito com o palco, com a TV e com o humor. Extremamente crítica, quer ser 100% em tudo. Está quase lá.

O quase é porque nada na vida é perfeito. E ela sabe disso. Dorme quatro horas por noite, faz terapia vez sim, vez não por Skype ("quando dá, né?"), e precisou adiar um bocadinho os planos de se tornar mãe.

"Mas estou com tudo planejado aqui. Quando ninguém menos esperar, vou ali rapidinho, engravido, volto, faço mais um programa, volto para novela… (risos)".

Até podre de cansada, Tatá é engraçada. Aliás, é ótimo trabalhar com o que mais ama, mas difícil isso de ter de ser engraçada o tempo todo, não? "Muuuito", responde sem pensar duas vezes.

Entre uma cena e outra, o papo rendeu ainda análise sobre beleza, fama, ensaio de fotos, MTV, término de namoro, novela, filmes e muito mais. Não dá para piscar! Entre na velocidade de Tatá e confira a entrevista na íntegra abaixo:

iG: Enquanto você faz a maquiagem aí, me fala o que a galera pode esperar de "Tudo Pela Audiência"?
Tatá Werneck: Cara, amei tanto fazer esse programa. É um programa que satiriza todos os programas de auditório. É tudo que a gente já acha bagaceiro só que 10 vezes mais. Tipo, banheira do Gugu? É a banheira do Gugu com anões, mel, granola e pessoas de biquíni uma em cima da outra. É nesse nível. Fora que é com o Fábio Porchat, que sou fã para cacete. É a gente ali sem nenhuma defesa, sabe? Eu beijei uma senhora, o Fábio beijou duas senhoras.

iG: Você curte ver esses programas no dia a dia?
Tatá Werneck:  Sou bagaceirésima. Amo esses programas. Lembra do programa da Mariane? Era uma loira, só eu via aquilo. Agora, Silvio Santos eu não acho trash, é maravilhoso, minha vida. Esses programas de auditório fazem parte da minha infância, eu passava o domingo vendo com minha avó e um poodle. É a Jade, cachorra da minha avó.

iG: E já tem a segunda temporada garantida, né?
Tatá Werneck: Graças a Deus. Já me garante mais um ano de salário (risos).

Tatá Werneck como Heloísa Alves
Juliana Coutinho
Tatá Werneck como Heloísa Alves

iG: E sobre essa participação no “Vai Que Cola”. Como é essa taxista?
Tatá Werneck: Ela se chama Heloísa Alves e é uma taxista que não sabe se é homem, se é mulher, se é lésbica, se não é… E entra para a turma da pensão para fazer coisas pontuais. Chama coadjuvante (risos). Estou brincando. Foi um pedido do canal para que eu fizesse o "Vai Que Cola", que é um programa extremamente bem sucedido da TV a cabo, com um elenco que admiro demais. Só de ter o Paulo Gustavo aqui não quero mais nada. Abro mão da minha família para ficar dois minutos com ele. E todo mundo aqui… Samantha (Schmütz) , Cacau (Protásio) … Sou fã demais.

iG: A rotina é muito puxada de gravação. Vale a pena essa correria?
Tatá Werneck: Pois é, vou saber daqui a pouco (risos). Está complicado mesmo. Estou há quatro semanas sem folga e vou ficar mais seis semanas sem parar. Só em jogo do Brasil eu folgo. E só durante o jogo, porque no resto, eu cubro (Tatá foi repórter do "Caldeirão do Huck" durante a Copa do Mundo). Estou preocupada, porque quero muito poder dar conta. Durante seis semanas vou fazer três personagens completamente diferentes. Um do Didi (Tatá está no elenco do novo telefilme de Renato Aragão ), um do meu filme com a Ingrid Guimarães e esse aqui...

iG: Me conta desse filme com a Ingrid...
Tatá Werneck: Chama “Loucas para Casar”, vai estrear em dezembro, e no elenco sou eu, Ingrid e Suzana Pires . Mas, assim, vai ser segunda e terça-feira “Vai Que Cola”, quarta e quinta Didi, sexta e sábado Ingrid, domingo, sei lá, detox (risos). Está bem difícil… É complicado fazer três personagens com tamanhos diferentes… Vai para o cinema, é uma parada natural; chega no “Vai Que Cola” é uma lésbica com uma peruca estilo “Pigmalião 70”... É loucura.

iG: É muita caracterização para a Heloísa?
Tatá Werneck: Cara, é muita, ela é bem caricata. A minha construção partiu da proposta deles (direção do programa). É uma peruca bem “Pigmalião” mesmo. Rola um buço fake, monocelha…

iG: Bom, voltando para a agenda de trabalho, quando você grava a segunda temporada de “Tudo Pela Audiência”?
Tatá Werneck: Direto, sem folga. A primeira já está toda gravada. Ah, e aos finais de semana eu ainda vou fazer umas publicidades, que é o tempo que tenho para fazer. Então, até 25 de setembro eu não tenho pausa.

iG: Mas rende, né, Tatá?
Tatá Werneck: Com a glória de Deus! Mas também, comprei um sofá bom lá para casa… Estou brincando (risos). O negócio é que esse momento é delicado, tenho que fazer coisas maneiras. Todas as propostas são maneiras. O grande desafio é o que te falei. Dar conta de tudo, fazendo coisas diferentes e nesse pouco tempo.

iG: Você recebe muito convite?
Tatá Werneck: Graças a Jesus.

iG: E para selecionar, como faz?
Tatá Werneck: Jesus também (risos). Eu precisava abrir mão de um projeto. Aí abri mão do projeto casamento, no caso (risos). Foi por pura falta de tempo. No ano passado, vi meu ex-namorado 18 vezes. E ele viu uma tal de Samantha 35 vezes (risos). Estou brincando, viu? Coloca aí que estou brincando. É difícil, mas a gente tem uma relação de amor e respeito absurda.

Tatá diz ser vaidosa:
Caio Duran/Agnews
Tatá diz ser vaidosa: "Fazia sucesso na faculdade"

iG: É realmente uma questão para você equilibrar essas duas partes da vida agora? O lado pessoal e o profissional?
Tatá Werneck: É, porque eu realmente não tenho tempo. Gravo todos os dias mesmo, não existe tempo livre, não existe “ah, vou para academia”. Não tem como conciliar. Estou fazendo três personagens diferentes, então uso qualquer tempo livre para decorar texto.

iG: Vi que você, recentemente, apadrinhou uma menina na África durante um retiro espiritual que você foi fazer lá. Você consegue ter contato com ela?
Tatá Werneck: Sim, sim, eles me mandam fotos e vídeos dela sempre. E assim que eu puder, vou para lá visitá-la. Primeiro que amo a África, já tinha ido anteriormente para outro retiro lá, e me apaixonei pela Xipo .

iG: Está batendo o relógio biológico, então?
Tatá Werneck: Está batendo muito. Mas estou com tudo planejado aqui. Quando ninguém menos esperar vou ali rapidinho, engravido, volto, faço mais um programa, volto para novela… (risos).

iG: E rola uma responsabilidade maior por ser um dos rostos mais importantes do Multishow atualmente?
Tatá Werneck: Ih, não tinha me tocado disso. Agora que você falou fiquei bolada. Acho que não, porque são tantas caras tão fortes. Já ponho muita pressão em mim com qualquer coisa que eu faça. Tipo, vou ao dentista. Eu preciso fazer a melhor ida ao dentista possível, sabe? Essa pressão de fora não tem nem espaço. Sou muito crítica comigo. Com os outros eu sou uma banana, amo tudo de todo mundo.

iG: Você já se acostumou com esse outro lado do boom do sucesso, como fazer fotos com carão, séria, com pose de mulherão…?
Tatá Werneck: Toda vez que meu maquiador vai me preparar para uma sessão de fotos ele me pergunta: bonita ou engraçada? Eu respondo engraçada. Não tenho essa coisa… Meu ex-namorado - imagina, foram oito anos de casamento - me amava vestida de Chaves.

iG: Então o humor nunca foi um empecilho nesse sentido da conquista?
Tatá Werneck: Pelo contrário, acho que atrai os homens. Que louca… Falei como se eu tivesse muitos homens, né (risos)? Mas fico pensando assim: se saio na capa de uma revista, posto a foto no Instagram e ponho uma legenda séria, não sou eu. Não sou eu mesmo. Se eu não me zuar, não sou eu, sabe?

iG: E como você se vê: bonita ou engraçada?
Tatá Werneck: Cara, me vejo, sei lá… Sou como toda mulher, às vezes estou me sentindo bonita, às vezes, não. As pessoas perguntam “e aí, Tatá, como é para você posar e tal” parecendo que sou um alien, só porque faço humor (risos). Na faculdade, eu fazia o maior sucesso, gente! Eu nunca fui uma mulher sem vaidade, sempre fui saradinha, bronzeada… Mas em cena não tenho nenhuma vaidade. Em cena eu sou capaz de entrar no palco como a pessoa mais feia do mundo. Fora de cena, na vida, sou mega vaidosa. Você não vai me ver - ou vai também, não sei - sem estar arrumada. Ando sempre cheirosa, gosto de me vestir bem.

iG: Mas chega a ser uma neura essa vaidade?
Tatá Werneck: É como toda mulher, normal. Nem mais, nem menos. E sou capaz também de sair de casa de pijama se quiser, entendeu? Não é uma neura, não.

iG: Depois que você saiu da MTV e assinou com a Globo, aconteceu tudo muito rápido na sua vida, né? Você se assustou? Pintou muito amigo que você não sabia que existia?
Tatá Werneck: Pintou. Sempre pinta um primo de Macaé, né (risos)? Cara, mas você sabe que eu não assimilei isso tudo? Outro dia, no Instagram, eu achava que tinha 1 milhão de seguidores, sei lá… E quando vi, estava com mais de 2 milhões. Eu não acompanho, sabe? Sempre dediquei minha vida ao meu trabalho, mesmo quando ganhava 10 centavos. Quando eu pagava para trabalhar, praticamente. Agora é a mesma dedicação, mesmo amor, mesmo tudo…

iG: Mas não mais com 10 centavos, né...
Tatá Werneck: Com milhões. Estou brincando! Mas não percebi mesmo, não me assustou. Acho maneiro porque as pessoas se aproximam de mim com muita intimidade, como se a gente fosse amigas de infância. O humor aproxima muito…

iG: E cobra muito também, não? As pessoas não te cobram ser engraçada a todo e qualquer momento?
Tatá Werneck: Muuuito!

(Toca o segundo sinal do teatro. É hora de entrar para a gravação com plateia)

Tatá Werneck: Ai, meu Deus, calma, preciso terminar de decorar. Você assistiu ao primeiro? Está legal?

iG: Está ótimo, a personagem está engraçadíssima… Só para finalizar, então, me fala sobre Lady Marizete (novela das sete da Globo em 2015)...
Tatá Werneck: Começo a gravar em janeiro, mas não sei nada oficial sobre a personagem ainda. Só vi o que saiu na internet mesmo. Em outubro eu paro com todos os outros projetos para me dedicar 24h para a novela. É isso. Falei muita besteira? Depois você filtra tudo isso que eu falei, tá (risos)?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.