Em "Geração Brasil", atriz vive uma jornalista que é o amor platônico da vida de Barata, personagem de Leandro Hassum

Festa de lançamento da novela 'Geração Brasil' com Murilo Benício, Taís Araújo, Claudia Abreu, José Loretto, Fiuk
Claudio Andrade e Thyago Andrade/Photo Rio News
Festa de lançamento da novela 'Geração Brasil' com Murilo Benício, Taís Araújo, Claudia Abreu, José Loretto, Fiuk

Uma faringite pegou Taís Araújo de jeito. O que complicou ainda mais a voz rouca e o mal estar da atriz? A proximidade com a estreia da nova novela das 19h, "Geração Brasil", que começa em 5 de maio na Globo. Na noite dessa terça-feira (29), ela revelou que, apesar dos anos de carreira, o nervosismo ainda toma conta quando o assunto é trabalho novo. "É sempre um sofrimento. E demora para passar… Até estrear, até você ver o que você está fazendo, conserta aqui, conserta ali… Aí acaba, e começa um outro sofrimento (risos)”, brincou.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

Na história de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira , Taís vive a jornalista Verônica, o amor da vida de Barata, personagem de Leandro Hassum . Na vida real, ela garantiu que nunca reparou em nenhum amor platônico que tenha ficado no seu pé, mas que adora receber elogios por onde passa como toda mulher. “Se eu não escuto, fico chateada. Ainda mais quando você está precisando, sabe? Passar na frente de uma obra… É uma delícia (risos). Dá uma levantada na autoestima, né? E acho que até está rolando uma campanha contra o ‘fiu-fiu’, as pessoas não estão gostando mais. Acho que não pode insultar, não pode ser ofensivo. Mas às vezes é divertido. Às vezes você está triste, cabisbaixo, daí você pisa na rua e escuta um ‘ai, que coisa linda’... Já dá aquele astral, sabe? (risos)”, falou, bem-humorada.

Bem-humorado também estava Lázaro Ramos , marido de Taís e que está no elenco de "Geração Brasil" com ela. Enquanto a mulher dava entrevista, ele fazia estripulias em um ambiente montado para foto em 360º. "Olha lá, meu Deus... Todo performático. Está achando que é jovem", comentou sobre o marido. A agenda de gravação do casal tem ajudado na rotina do filho, João Vicente , que completa três anos em junho.

“Como não estamos no mesmo núcleo, isso facilita, porque quando um está gravando, o outro não está. Hoje, por exemplo, eu gravei o dia inteiro e ele estava em casa. Eu gravo a semana toda, e ele não grava a semana toda. Sábado ele grava, e eu não gravo… Acaba que a gente consegue alternar. É muito difícil a gente gravar juntos”, disse Taís. E ser mãe na ficção aumentou a vontade de dar um irmão para João? “Eu sempre quis ter um monte de filho. Ter filho é muito bom. Agora sou mãe de um menino de 14 anos na novela. Daqui a pouco eu sou avó”, brincou.

O convite para "Geração" pintou depois do êxito absoluto de "Cheias de Charme". Sobre a pressão por um novo sucesso, Taís afirmou que rola mais uma cara de pau do que um medo. “A gente chega com uma descaração fora do comum (risos). É uma turma que já se conhece muito, então é só alegria, diversão. Claro que dá o nervosismo, eu estou sem voz, todo mundo fica tenso, afinal de contas a gente está exposto para o Brasil todo em qualquer novela que a gente faça, mas é uma turma tão bem integrada… A gente está se divertindo muito”, afirmou.

Sobre Verônica, ela comentou o que a normalidade da personagem, em um bom sentido, foi o que mais a cativou. “O que achei mais legal é que no meio dessa história da Marra e Vale do Silício e tal, ela é o oposto disso. Ela é absolutamente comum, não entende nada de informática… Puxa para o real, o nosso dia a dia. Isso me encantou. Além de ser atrapalhada… Uma série de coisas que são legais em uma heroína de novela”, garantiu a atriz, antes de completar: “E é dura (a vida de repórter), hein?. É dura, gente… É difícil, mas eu falo que quem faz jornalismo, trabalha com televisão e com aviação, é tudo um bando de maluco apaixonado pelo que faz”.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.