Após se irritar com um integrante de sua equipe, a jornalista Bette Lucchese acabou vítima de ataques de manifestantes

A jornalista Bette Lucchese foi hostilizada por um homem e uma mulher enquanto trabalhava na manifestação realizada em Copacabana, Rio, na última quinta-feira (24), em protesto contra a morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira , o DG, do programa "Esquenta", da Globo.

Bette começava a gravar sua reportagem quando foi avisada de que seu microfone estava desligado. Nervosa, ela esbravejou contra um colega de sua equipe, que rebateu. Os dois acabaram discutindo e em seguida, ela e a equipe da Globo que a acompanhava foram hostilizados.

Um homem e uma mulher começaram a gritar ofensas contra a emissora e seus funcionários. Ninguém da equipe respondeu às agressões verbais.

Assista às cenas registradas pelo jornal "A Nova Democracia":


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.