Em entrevista ao programa de estreia de Geraldo Luís, o apresentador admitiu vício e falou sobre o Mal de Parkinson

Depois de fazer Sabrina Sato chorar ao vivo no palco na estreia de "Domingo Show" , Geraldo Luís exibiu a entrevista com Gil Gomes . O apresentador, que na primeira parte do programa contou com o carisma de Sabrina, demorou quase 30 minutos para colocar a matéria aposta do dia no ar depois de anunciá-la.

Curta a fanpage do iG Gente e receba notícias dos famosos

Geraldo foi à casa de Gil Gomes e relembrou momentos marcantes da trajetória do jornalista em um bate-papo de cerca de 40 minutos. O apresentador mostrou o atual estado de saúde de Gil Gomes, com Mal de Parkinson, e tocou em assuntos pessoais, como a morte por Hepatite C de um de seus cinco filhos, o Gabriel.

Vestindo uma "camisa Gil Gomes", Geraldo foi só elogios ao pioneiro do jornalismo policial ao chegar na casa dele. "Sabe o quanto é importante para mim estar aqui entrevistando o único homem que tinha cinco milhões de ouvintes no rádio?", perguntou ele. "Agradeço e sou feliz por isso. Dediquei a minha vida para isso e consegui", respondeu Gil Gomes. Depois de grande troca de elogios, Gil Gomes comentou que está "um milhão de vezes feliz".

Com a voz fraca devido à doença, Gil Gomes falou sobre sua marca registrada, as mãos em movimento enquanto noticiava sobre os crimes. "Não tinha onde colocar (as mãos). Uma eu segurava o microfone, a outra não tinha o que fazer", brincou ele, que enalteceu a importância de seu trabalho. "Sei que com informações minhas a polícia esclareceu 637 homicídios, com informações nossas", declarou. Longe do trabalho, Gil Gomes lamentou. "Era a minha vida. Sinto saudade."

Gil Gomes no 'Domingo Show'
Reprodução
Gil Gomes no 'Domingo Show'

"Sinto mais saudade de falar. A voz está saindo fraca"

Questionado sobre o que mais estava sentia falta de fazer, Gil Gomes não pensou duas vezes para responder. "Sinto mais saudade de falar. A voz está saindo fraca. Sinto saudade de falar, de contar história", avaliou. "Uma vítima, um criminoso, não foi só uma vítima e um criminoso. Era uma pessoa. Eu contava a história de um ser humano. José da Silva não é uma estatística, é uma pessoa como eu, como você", completou. 

Gil Gomes contou que começou na carreira como locutor esportivo e lembrou que o primeiro crime que cobriu foi em São Paulo e, ao conversar com o criminoso, percebeu que o assunto precisava ser tratado com mais respeito pela imprensa e pela polícia também.

"Cheguei a ter 250 cavalos"

O vício em jogos consumiu grande parte do dinheiro de Gil Gomes. "O jogo acabou com uma fase da minha vida. Joguei muito, comprei cavalos, fiz o que quis. Mas não me arrependo. O jogo comprometeu a minha vida, mas não acabou com ela", declarou ele, concordando que o vício o prejudicou financeiramente. "Cheguei a ter 250 cavalos [...] Pena que não posso ter mais, porque senão eu teria", disse. Durante o bate-papo o eterno apresentador do "Aqui e Agora" revelou que participou de um leilão em que chegou a dar um lance de R$ 399 mil em um cavalo, mas não levou porque arremataram em mais de R$ 400 mil.

"Não pensei que ficaria velho"

Aos 73 anos, ele ainda contou que até os nove era gago e declarou amor à ex-mulher. "Tive muitas paixões, mas tive apenas um amor, a minha ex-mulher Eliana", falou. Sobre a atual situação financeira, o jornalista disse que vendeu algumas propriedades porque o programa "Aqui e Agora" chegou ao fim e ele ficou desempregado. "Não deu para sustentar [...] Pra que guardar dinheiro? Só prejudiquei uma pessoa nesse mundo. Eu mesmo. Nunca prejudiquei ninguém. Pelo contrário, ajudei muita gente [...] Não pensei que ficaria velho. Pensei que ia fazer televisão até quando morrer", falou ele sobre o motivo de não ter economizado dinheiro. "Acabou o 'Aqui e Agora', o rádio terminou. Veio não a falência, mas a dificuldade. Veio o divórcio com a Eliana. Uma calamidade atrás da outra", completou.

Causas do Mal de Parkinson

Com dificuldades de locomoção, Gil Gomes contou para Geraldo Luís que alguns médicos acreditam que o Mal de Parkinson se iniciou quando um dos cinco filhos, Guilherme, morreu vítima de Hepatite C. "Tive cinco filhos, perdi um. Foi a grande tristeza da minha vida. Mas tenho 4 filhos maravilhosos", iniciou. "Tem um médico que acha que meu Parkinson foi emocional depois da morte do Guilherme. Foi muito triste. Ele foi deteriorando lentamente e apesar de todo o meu esforço, porque todo mundo lembra do quanto gastei com cavalo, mas ninguém comenta no quanto investi no meu filho... Foi muito triste, mas ele está em um bom lugar", explicou ele, visivelmente emocionado. "O Guilherme era meu amigo inseparável. Fazer o que?"

Não sou abandonado e não estou na miséria

Morando sozinho, Gil Gomes garantiu que não precisa de ajuda e fica isolado porque gosta. "Não fico sozinho porque todo dia vem um filho, vem amigos, minha ex-mulher. Mas quero uma privacidade. Quero dormir o horário que durmo. Se sentir vontade de soltar pum, solto a hora que quero", brincou. "Fico sozinho. A hora que não puder ficar sozinho, falo. Não sou abandonado e não estou na miséria. Estou numa situação econômica razoável. Não sou rico, mas vivo bem. Para sobreviver e viver bem tenho bastante."

"Tenho medo de viver"

Depois de conviver diariamente com a morte, Gil Gomes declarou que nunca teve medo de morrer. "Já passei por mil situações e nunca tive medo de morrer. Tenho medo de viver. Ter doenças é natural, é da idade. Quero viver com honra, com dignidade. E isso tenho para dar e vender. O necrotério era a minha segunda casa, por isso não tenho medo da morte", explicou.

Ao final da matéria, Geraldo Luís promoveu o reencontro de Gil Gomes com a filha que mora em Curitiba e que não via o pai há dois anos. "Meu herói. Além de tudo ele é meu grande amigo. Ele é meu herói, essa é minha imagem", declarou.

Gil Gomes no 'Domingo Show'
Reprodução
Gil Gomes no 'Domingo Show'



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.