Durante gravação do quadro "Proteste Já", do "CQC", no Piauí, repórter diz ter sido vítima de assessor do prefeito


Oscar Filho , que diz ter sido agredido durante gravação do quadro "Proteste Já", do "CQC" em Esperantina, no Piauí, usou sua página oficial na internet para explicar a confusão envolvendo o jornalista Gil Sobreira , assessor do prefeito da cidade, Lourival Bezerra .

"Obviamente, o prefeito não quis conversar com a nossa equipe. Foi então que o jornalista Gil Sobreira, que há pouco tempo virou assessor de imprensa do prefeito, ligou dizendo que queria conversar com a gente", escreveu Oscar. "Não quis dar entrevista também. Foi agressivo, tentou me intimidar vindo falar perto do meu rosto, gritou, empurrou o cinegrafista e eu, tentou tomar meu microfone e deu um soco na câmera. Para o azar dele, machucou o dedo neste momento. Veio na minha direção e passou o dedo dele com sangue na minha camisa, talvez para tentar me incriminar mais tarde", justificou, publicando uma foto da camisa branca manchada.

Oscar publicou foto da camisa branca manchada de sangue
Reprodução
Oscar publicou foto da camisa branca manchada de sangue

Delegacia

"A polícia chegou e apenas nós da equipe fomos para a delegacia fazer o boletim de ocorrência. O que é estranho. Se ele foi o agredido, por que não se assegurar com a lei, né? Chegando ao hotel, encontrei este post na página dele do Facebook", conta, mostrando a cópia da publicação na página de Gil, que chama o repórter de "sujeito vil e biltre". No momento da publicação desta matéria, a página estava fora do ar

"Como se não fosse o suficiente o prefeito fugir e o assessor dele nos agredir, enquanto o produtor e eu estávamos na delegacia, recebemos uma ligação do câmera dizendo que o médico estava se recusando a assinar o exame de corpo de delito. Quando ele ameaçou dizer que íamos lá gravar a recusa, o médico mudou de ideia. E, realmente. Quando o produtor e eu chegamos à sala do médico, ele já estava finalizando o exame", continua Oscar.

Resposta

Procurado pelo iG , Gil Sobreira não foi encontrado para comentar o assunto. Em sua página no Facebook, Gil se manifestou. "O coitado não sabe sequer o significado da palavra "xenofobia", não seria "discriminação" a que ele se refere? #nãoestudou", alfinetou. "Vá estudar, caso queira posso tentar conseguir uma bolsa de estudos para você em São Paulo. Quem sabe estudando você consegue galgar degraus e chegar até a Vênus Platinada, porque nessa porcaria que tu estás ninguém te vê, nem afiliada tem no Piauí!! Tenho testemunhas do seu vilipêndio verbal. Quer debater comigo? Na hora que você quiser aceito. Você é muito, mas muito fraco".

Curta a página do iG Gente no Facebook e receba as notícias dos famosos


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.