Atriz fecha ciclo de novelas do autor com a Helena de “Em Família”, novela que foi apresentada nesta quarta (22) no Projac

Julia Lemmertz e Manoel Carlos
Claudio Andrade/Foto Rio News
Julia Lemmertz e Manoel Carlos


Manoel Carlos chegou aos 80 anos decidido. Apesar de já ter feito o anúncio outras vezes, ao que tudo indica, “Em Família” será sua última novela. E caiu no colo de Júlia Lemmertz a responsabilidade de encerrar o ciclo das Helenas de Maneco, iniciado em 1981, com sua mãe, Lilian Lemmertz , em “Baila Comigo”. Nesta quarta-feira (22), durante a coletiva da nova trama, Júlia não aguentou a emoção e foi às lágrimas com o depoimento do autor.

"Eu já pensava em fazer essa ponte entre a Lilian e a Júlia há algum tempo. Quando eu decidi que devia encerrar esse ciclo, não perderia a oportunidade de trabalhar com a Júlia. Eu devo muito a Lilian, ela criou o personagem junto comigo. A matriz da Helena é a Lilian. E ela é uma atriz que deixou trabalhos riquíssimos no teatro e na TV. É uma dívida de amor que pago para Lilian através da Júlia", disse.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

A atriz rebateu, com a voz embargada e nervosa, os elogios de Maneco: “Difícil falar depois de ouvir o Maneco e ver essa maravilha (clipe de apresentação). Dá orgulho fazer parte de um trabalho que já começa lá em cima, cheio de emoções, com qualidade, com uma história linda. Tudo ali é contado como a vida é mesmo. Eu estou muito emocionada, não sei nem como vou gravar hoje”, brincou.

Julia Lemmertz
Felipe Panfili e Felipe Assumpcao/AgNews
Julia Lemmertz

"Estou mais madura"

“Eu tenho um encontro marcado há anos com o Maneco, sempre quis trabalhar com ele, mas nunca pensei que viria uma Helena por aí. Eu sonhava, claro, mas as coisas boas a gente deixa guardadas. Só que o que é da gente é da gente. E eu agradeço por esse personagem chegar em um momento propício da minha vida, quando já estou mais madura e próxima da idade da minha mãe quando faleceu. É um encontro que só me dá oportunidade de exercer meu ofício com categoria”, finalizou.

Assim como a saga das Helenas, a personagem criada por Júlia é verdadeira, humana, com todos os defeitos e qualidades de um ser humano guerreiro e real. Segundo o autor, ele fez a soma de todas as personalidades que já passaram por esse “corpo”. “Tem de todas um pouco. Eu fui somando coisas típicas. A Helena é uma personagem absolutamente comum, que tem mais defeitos do que qualidades, eu acho. Ela mente, engana, eticamente é um pouco fracassada... É mais um exemplo do que é ser humano comum e normal. As Helenas são capazes de grandes coisas", falou.

Júlia contou ainda que se lembra de quando sua mãe trabalhou em “Baila Comigo”. “Eu morava em São Paulo e vinha visitá-la nos fins de semana. Mas fora do que eu vi e revi, a memória viva que eu tenho é o prazer que ela tinha de fazer essa personagem. Era uma felicidade plena. E minha mãe era uma atriz já realizada no teatro, e do nada foi aquela explosão na TV, todo mundo querendo saber. Ela foi descoberta pelo Maneco. Quando ela faleceu, eu encontrei no apartamento dela diversos capítulos de 'Baila Comigo', ela guardou tudo porque ela era um pouco aquilo ali. E não se joga fora um romance, né?", falou.

Tudo em família

Numa espécie de homenagem para a despedida, Maneco reuniu no elenco um time já conhecido de águas passadas. "Nessa novela eu promovi de propósito um reencontro da minha carreira na TV Globo. Trouxe a Bruna ( Marquezine ), Helena Ranaldi , Reinaldo Gianecchini , que começou comigo, Giovanna Antonelli ... E esse reencontro enriqueceu muito. Eu estou pagando uma dívida que tenho com esse time. Estou muito feliz", disse ao elenco.

Natália do Vale , outra parceira do autor, fez questão de comentar o fato de ser mãe de Júlia na fase atual da história. “A parte mais comovente em fazer a mãe da Júlia é por questões emocionais. A Lilian foi minha mãe em ‘Baila Comigo’, de 1981, e nós nos tornamos muito próximas, ela me ensinou muita coisa. Como lidar com a emoção, como passar emoção. Hoje, sempre que tenho cenas do tipo, fico torcendo e pedindo aos deuses para passar para alguém um pouquinho do que ela foi para mim”, contou.

Natáia falou também sobre o presente que ganhou da mãe de Julia. “Ela me deu uma pulseira que agora está comigo para sempre. Eu estou muito emocionada. Nós (Natalia e Júlia) somos muito choronas, sabe? Esse é um dos pontos em comum. Mas achei que está tudo lindo. É uma responsabilidade, ainda mais para mim, que não tive competência para ter uma família na vida (risos). Obrigada, Maneco, por ter escrito essa história”, finalizou. “Em Família” tem estreia prevista para 3 de fevereiro. A direção de núcleo é de Jayme Monjardim e direção-geral de Leonardo Nogueira .

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.