Atriz apareceu mais magra no lançamento de “Amores Roubados”, no Rio, e evitou tocar no nome de Cauã Reymond

Depois de sair da saia-justa sobre a polêmica amorosa com Cauã Reymond , seu par em "Amores Roubados", durante a coletiva de imprensa da série, Isis Valverde falou sobre fama, deu mais detalhes de sua personagem, Antonia, e contou ainda sobre a experiência de estar do outro lado da câmera fotográfica, quando sentiu-se um paparazzo. Mais magra, a atriz também comentou sobre o corpo mais magro. No entanto, na conversa com os jornalistas, Isis evitou tocar no nome de Cauã, seu parceiro de cena.

A atriz foi questionada sobre qual é o lado positivo da fama e disse que nunca buscou por ela. “O que me trouxe coisa boa foi minha carreira, não a fama. Eu não acho que a fama em si seja algo que procurei a vida inteira, por isso não sei responder. Eu procurei a vida inteira atuar. Eu queria conseguir ganhar dinheiro atuando, porque meu pai só ia me deixar ser atriz se eu pudesse se manter. Senão não seria atriz, seria médica. Isso eu sei, mas eu decidi ser atriz, deu certo, e é atrás disso que eu estava.”

Mais magra para o papel

“Emagreci. Acho que estou hoje com 50kg. Foi antes do início das gravações. Eu tive a ideia quando li o texto”, explicou. “Minha personagem é muito ligada ao esporte, mal para em casa. Ela adora viajar, faz mochilão. Desculpa, mas quem faz mochilão, não come. Fica naquilo de monta barraca, desmonta barraca, caminha, sobe, desce. Ela é muito ativa. O corpo dela é definido, mas magro. O ator também tem que pensar nisso na hora da composição de um personagem.”

Fotógrafa disfarçada 

Isis contou que teve que se disfarçar para entender melhor sua personagem. “Eu gosto de fazer preparação de rua. Conhecer a cidade, os bares, conhecer as pessoas. Como a Antonia gosta de fotografar, eu pegava minha câmera, um carro da produção e saia para fotografar o sertão. Eu parei em vários lugares e ninguém me reconheceu. Ia de boné, óculos e falava que estava fotografando para o jornal da cidade. Lógico, um ou outro reconhecia, gritava meu nome e eu tinha que sair correndo e entrar no carro, mas raramente isso acontecia”, diverte-se.

Nessas saídas para fotografar, Isis lembra que sentiu na pele como é ser um paparazzo. “Teve uma menina que eu fotografei e a mãe dela não curtiu. Eu falei que era para o jornal. Na hora que eu cliquei, ela começou a gritar e pediu para eu apagar a foto. Eu pedi desculpa. Fui paparazzo dessa vez, quer coisa melhor?", conta, aos risos. "Eu adorei, mas me senti invadindo o outro. Então, comecei a pedir para fotografar. Achei legal eu respeitar o limite das pessoas”, completa a atriz, que em janeiro começa a rodar seu próximo trabalho, o filme “Divã 2". 

Isis e Cauã em cena de 'Amores Roubados'
Felipe Assumpção e Felipe Panfili/AgNews
Isis e Cauã em cena de 'Amores Roubados'


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.