Intérprete de Wagner, amante de Edith (Bárbara Paz) na novela de Walcyr Carrasco, conta que não tem preguiça quando o assunto é trabalho e mostra que cresceu e apareceu desde sua estreia em "Malhação", em 2005

Um mordomo forte e tatuado tem roubado a cena no núcleo principal de " Amor à Vida ", da Globo. O funcionário bonitão da mansão da família Khoury foi escolhido como a vingança da personagem de Bárbara Paz (Edith) ao saber que o seu marido era gay.

Se na novela Felipe Titto , de 26 anos, interpreta um amante, na vida real essa possibilidade nem passa pela cabeça do ator. “De onde eu vim e da maneira como fui criado, isso aí dá problema muito sério. Se envolver com mulher casada é só na ficção, comigo não rola disso aí. No gueto, isso nunca termina bem”, diverte-se ele, que foi criado na periferia de São Paulo.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias dos famosos

O corpo musculoso e desenhado, que o fez ser escolhido para o papel, é bem diferente de quando fazia seu primeiro trabalho na emissora, há oito anos. Em “Malhação”, ele era magrelo e ostentava cabelo black power. “Cortei o cabelo, a barba cresceu no meu rosto porque virei homem. Então, meu corpo automaticamente mudou. E agora invisto mais em treino também, de segunda a segunda, corro três vezes na semana e quando não corro, pedalo... Essa transformação foi quase automática”, conta ele.

A alimentação também mudou ao longo dos últimos anos. “Não falo que estou de dieta, porque eu sou de dieta. Nunca me alimento mal. Fui vegetariano por quase 10 anos, tive que voltar a comer carne por falta de proteína. Minha comida é sempre sem gordura, sem fritura, sem chocolate, sem açúcar. Para mim, isso é normal”, explica. E no cardápio saudável de Felipe, nada de bebida alcoólica. “Nunca provei, não sei o gosto. Todo mundo acha engraçado isso, mas nunca bebi. Tenho uma noção se é amargo ou azedo por causa do cheiro, só isso."

Mulher não assiste às cenas quentes

Quando fez o teste para a trama de Walcyr Carrasco , Felipe Titto não sabia que seu personagem teria envolvimento com uma mulher casada. Segundo ele, as únicas exigências para o papel foram as tatuagens e o corpo definido. Sobre o atual sucesso, o ator tem os pés no chão. “Meu papel é pequeno, não tive oportunidade de mostrar nada ainda. Agora que ele está começando a aparecer. Mas me sinto muito lisonjeado quando recebo o texto e vejo que o Walcyr parou para pensar no personagem, para escrever para mim. Só não sei se já era uma história traçada, não posso dizer que (o papel) cresceu por mim.”

O meu principal projeto é virar apresentador. Tenho três programas que escrevi e quero colocar na ativa. Quero ser tipo um Luciano Huck ou Marcos Mion”

Com o personagem em ascensão, as cenas fortes com Edith começam a ter destaque. Casado há dois anos com a arquiteta Mel Martínez , Felipe comenta que a mulher prefere sair de frente da TV no momento de intimidade entre os personagens. “Ela assiste à novela, mas quando aparecem essas cenas mais quentes, a Mel arruma uma atividade para fazer. Vai passear com o cachorro, vai malhar. Ela não faz questão de assistir, não.”

"Quero ser apresentador"

As tatuagens que abriram portas para a novela das 21h também podem prejudicar a carreira do ator no futuro. No entanto, Felipe não se incomoda com isso, pois tem outros planos profissionais. “Não é que as tatuagens podem me atrapalhar, elas me atrapalham totalmente. Fiquei completamente limitado, só posso fazer um tipo de papel. Mas não tenho intenção de continuar como ator. Lógico que se me chamarem para fazer outras novelas, não vou negar de jeito nenhum e vou fazer com o maior prazer do mundo”, pondera. “O meu principal projeto é virar apresentador. Tenho três programas que escrevi e quero colocar na ativa. Mas já estou cavando isso aí também. Quero ser tipo um  Luciano Huck ou Marcos Mion ”, avisa.

Pai precoce e muita ralação longe da TV

Depois de dar vida a Marley em “Malhação”, em 2005, Felipe ficou um longo período afastado das novelas. Foi nesse meio tempo que o ator decidiu ir à luta e precisou “se virar” para cuidar do filho, Théo , de 10 anos, de um relacionamento anterior. “Sou um cara agilizado. Sempre vivi na correria. Já pintei portão e fui pizzaiolo, entregador de pizza... Aos 14 anos, meu primeiro emprego foi de vendedor de loja de skate, onde eu ganhava R$ 120.", revela. "Já trabalhei em loja de shopping, fiz muita coisa... Para você ver o que eu faço para não ficar sem grana. Já fui quase tudo o que você pode imaginar. Sempre dei os meus pulinhos, graças a Deus.” Sobre o atual momento, Felipe prefere não falar em dinheiro, mas garante que “está em um momento muito tranquilo.”

Nunca provei (bebida alcoólica), não sei o gosto. Tenho uma noção se é amargo ou azedo por causa do cheiro, só isso”

Durante dois anos nesses dez fora das telinhas, o ator se mudou para Hollywood, mas para atuar em outra área: formou-se chef de cozinha. “Me especializei em culinária mediterrânea, trabalhei em Los Angeles como chef de um restaurante israelense. Até aprendi a falar hebraico”, lembra o ator, que sempre retornava ao Brasil para matar a saudade do filho.

"Estou longe de ser galã"

Felipe Titto em
Divulgação/TV Globo
Felipe Titto em "Malhação" em 2005 e atualmente

Após o amadurecimento forçado por ter se tornado pai ainda adolescente e a experiência fora do País, Felipe retornou ao Brasil e tratou de refazer o cadastro na Globo, pois a emissora ainda “tinha aquela ficha do cara magrelinho e de cabelão”. Mas o sucesso depois de ter “ficado com corpo de homem” não faz com que Felipe Titto se considere um galã. “Estou longe disso aí. Esse título não está comigo, não. Sou sortudo, vamos dizer assim. Faço a linha mediana ali, que deu um pouco de sorte na hora de nascer”, desconversa ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.