O autor da trama, Walcyr Carrasco diz já foi "praticamente obeso", que o mundo é cheio de problemas e querer o politicamente correto é uma forma de censura. A atriz Fabiana Karla também se manisfesta sobre a campanha: "Procuro ver a polêmica como algo bom para a personagem"


Pode ser que para alguns telespectadores de “Amor à Vida”, da Globo, o drama da personagem Perséfone, interpretada por Fabiana Karla , seja legítimo e até divertido. A enfermeira cai nas maiores armadilhas por causa do desejo ardente de perder a virgindade. Acontece que ela só leva fora dos alvos em potencial e sua derrota, muitas vezes, é relacionada com seu peso.

Por conta disso, outra parte dos telespectadores não está satisfeita com a história da gordinha. Meninas plus size na vida real rebatem que a trama de Walcyr Carrasco não ajuda em nada sua autoestima do dia a dia.

Pelas redes sociais, o autor da novela recebeu diversas reclamações sobre o tema e respondeu pedindo paciência para as garotas insatisfeitas. Mas elas não aguentaram ficar na passividade. O movimento que pede uma alteração para a vida de Perséfone foi iniciado pela blogueira Paula Bastos , que escreveu uma carta aberta para Walcyr no mês passado. O escritor teve acesso ao documento e rebateu contando sua experiência, pois já foi “praticamente obeso” e sabe sobre o preconceito com o tema. Walcyr ainda garantiu que as meninas agradecerão pelo final que espera por Perséfone.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba notícias dos famosos

Sem nenhuma mudança aparente após um mês, a mineira Kalli Fonseca , do blog Beleza Sem Tamanho, resolveu criar uma petição online para pressionar ainda mais o autor. Até o fechamento desta reportagem, o abaixo-assinado online contava com mais de 2.880 assinaturas. “Acredito que não somente eu, mas todas as pessoas que assinaram, desejam que a personagem seja retratada com menos estereótipos. O fato de ela ser provavelmente a primeira virgem tarada da dramaturgia e algumas cenas, como a que, em meio a uma reunião importante com a chefia sobre a morte de um bebê, a personagem começa a se preocupar com o fato de a criança ter morrido antes de conhecer o sexo e começar a fazer cara e bocas com isso, me deixam perplexa”, disse Kalli, de 29 anos.

“Não quero que a gordinha seja premiada com um príncipe no cavalo branco, ou, quem sabe, no Camaro amarelo, mas quero que a personagem seja tratada com naturalidade. Ela é gorda e pode trabalhar, namorar, se decepcionar com homens. No entanto, nada disso precisa ser feito de forma estereotipada e que denigra a personagem por seu peso”, continua a blogueira, que quer encaminhar a petição para Walcyr Carrasco por meio das redes sociais para tentar sensibilizar o autor.

“O politicamente correto é uma forma de censura”, diz Walcyr

Na tentativa de perder a virgindade, Perséfone se mete em várias enrrascadas
Divulgação/TV Globo
Na tentativa de perder a virgindade, Perséfone se mete em várias enrrascadas

Ao que tudo indica, Walcyr Carrasco seguirá firme na sua posição e pretende continuar a contar a história de Perséfone como planejou anteriormente. Ao iG , o autor comentou a atitude das blogueiras que criticam este ponto em “Amor À Vida”. “Acho que as pessoas não querem ver a realidade. O mundo real é cheio de problemas, e um deles é o preconceito contra a obesidade. No final das contas, essa onda de quererem que tudo seja politicamente correto é uma forma de censura que tenta apresentar um mundo ideal, distante do que realmente existe”, opinou ele.

No entanto, Walcyr não adiantou o futuro de Perséfone. O jeito é mesmo aguardar as cenas dos próximos capítulos. Para finalizar, o escritor fez questão de elogiar a atuação de Fabiana Karla: “O trabalho de Fabiana está maravilhoso, divertido, carismático e sensível. Acho que as gordinhas estão bem representadas”.

A própria atriz também entou na discussão do iG. Para quem não se lembra, no humorístico “Zorra Total”, Fabiana interpretou por anos a Doutora Lorca, uma nutricionista às avessas que liberava qualquer tipo de guloseima para seus pacientes com o bordão “isso pode”. Muito bem resolvida com seu peso, Fabiana, de 37 anos, disse que acha legítima a reação das blogueiras, mas rebate: “Há muitas “Perséfones por aí, sim.”

“Acho importante notar a reação do público. O telespectador tem direito de expor sua opinião. O Walcyr já comentou sobre o caso, deixando clara a opinião dele, que é a pessoa mais indicada a falar sobre isso. Eu apenas interpreto o que é proposto a mim; a autoria da trama é com ele. Mas procuro ver a polêmica como algo bom para a personagem. É sinal de que ela está se destacando. Falem bem ou mal, só não sejam omissos”, pediu a atriz.

Fabiana contou que, ao contrário de Perséfone, passou muito bem pela “fase crítica” de toda mulher: “sempre fui cercada de amor e carinho na minha vida, e sempre tive de bem com minha autoestima. Ou seja, não sofri nada quando os assuntos eram namoro e virgindade”. E assim como todo final de novela, o caminho para Perséfone promete ser de felicidade. O que de fato vai acontecer apenas Walcyr tem conhecimento, “mas o que eu espero é que ela encontre alguém legal para a primeira experiência e que possa ser uma pessoa que lhe dê amor”, pediu Fabiana.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.