Atriz fala de sua personagem na trama das seis da Globo e de seu novo filme, “País do Desejo”

Maria Padilha deixou Diva por um momento, sua cômica personagem em “ Lado a Lado ”, para viver um papel mais dramático. Ela encarnou uma pianista clássica de renome que luta contra uma doença renal crônica no longa "País do Desejo", que pré-estreou nesta terça-feira (22), em São Paulo. “Acho que é muito interessante a discussão e muito legal fazer uma personagem assim. Fiz muitas aulas de piano. Tive contato com médicos para saber os sintomas da doença. E tentei traduzir o melhor que pude compreender, porque, na verdade, eu acho que o trabalho da gente não é copiar, para não virar um documentário, e sim interpretar artisticamente o sentimento daquela doença”, explicou a atriz em entrevista ao iG Gente .

Siga o iG Gente no Twitter e receba notícias dos famosos em tempo real

Apesar do tema ‘pesado’, Maria Padilha não se sentia cansada mentalmente após cada filmagem. “Porque foi muito prazeroso, um elenco muito bom de contracenar [ela atua ao lado de Fabio Assunção e Gabriel Braga Nunes ]. Foi muito bom trabalhar com o Paulo Caldas [diretor]. Era um set de filmagem muito bacana, pessoas muito ‘astral’, profissionais”, contou.

“Lado a Lado”

Maria Padilha assumiu que a alta audiência que “Lado a Lado” tem registrado nos últimos dias traz tranquilidade à equipe e elenco – os números da novela, que começaram bem abaixo da média, aumentaram e tem superado “ Guerra dos Sexos ”. “Acho que audiência é mais uma preocupação da empresa. Mas claro que a gente, que passa a vestir a camisa da obra, quer que vá bem. Até porque dá mais sossego para os autores, diretores. Quando vai bem, a gente pode seguir, porque senão a tem que mudar a trama da história. Mas nessa novela foi bem sossegado", comentou.

VEJA MAIS: ‘Lado a Lado’: Três atores entram para movimentar a trama

A atriz ainda disse estar feliz com sua personagem na trama. “É um personagem bem diferente de mim. Mas é gostoso brincar com teatro, poder fazer algumas ceninhas de peça. E eu gosto muito do texto também, eles acertaram muito, pegaram uma situação histórica e transformaram em uma ficção. Leio a novela com a maior curiosidade, porque estou aprendendo muito sobre o Brasil”, concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.