Atriz participou do programa "Encontro com Fátima Bernardes" na manhã desta segunda-feira (22) e comentou sobre reeducação alimentar

Deborah Secco participou do programa “Encontro com Fátima Bernardes” na manhã dessa segunda-feira (22) com Thaila Ayala e Nanda Costa para discutir sobre reeducação alimentar e comentar sobre os hábitos saudáveis de nutrição.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as últimas notícias dos famosos

Acostumada a exibir a boa forma na ficção, Deborah confessou que em 2002 tomou anabolizantes para conquistar o resultado em menos tempo para uma personagem, mas contraiu uma doença irreversível na tireoide. “Eu tinha feito uma novela antes em que eu tinha que ganhar peso, era o ‘Beijo do Vampiro’. Aí acabei tomando uns ‘suplementos errados’, proibidos, a famosa bomba, e fiquei com problema de tireoide bem grave, tive que operar”, falou a atriz. “Enfim, hoje eu tenho a Síndrome de Hashimoto [doença autoimune e a causa mais comum de hipotireoidismo], tenho que tomar hormônio para o resto da vida, tudo por conta desse suplemento proibido”, completou.

A atriz contou ainda que depois de ter adquirido o problema devido ao uso de anabolizante, começou a travar luta contra a balança. “É muito fácil [usar bomba] porque as pessoas ganham musculatura com muita facilidade e eu, muito menininha na academia. ‘Tem medo de injeção?’, ‘Não, então vou tomar uma injeção para ficar linda’. E é isso. Depois, engordei 20 quilos e tive muita dificuldade de emagrecer”, contou.

Durante o bate-papo, Deborah falou também que passou por reeducação alimentar depois de adulta, apesar de pensar constantemente em comida. “Fiz todas as dietas malucas. Fazia a dieta da sopa em uma semana e na semana seguinte comia tudo o que não tinha comido. Tenho mente de pessoa gorda. Durmo pensando no que vou tomar no café e acordo pensando no que vou almoçar”, “Era uma pessoa que comia muito mal. Minha educação natural alimentar de pai e mãe foi muito errada. Na minha casa não tinha água, não tinha fruta, não tinha verdura, não tinha legumes. Meus pais não comiam isso. Lá tinha chocolate, refrigerante, arroz, feijão, bife e batata frita, era o que eu comia todos os dias até praticamente os 20 anos”, disse ela. “Depois pela profissão aprendi a comer direito. Hoje chegando aos 33 tenho uma preocupação grande com isso até para que eu possa me transformar no que os personagens pedem de mim fisicamente. Isso faz parte da minha preocupação”, falou Deborah para Fátima Bernardes .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.