O ator explicou que ‘abandonou’ o cinema brasileiro pela falta de recursos na época

Tarcísio Meira comemora volta ao cinema
Orlando Oliveira/AgNews
Tarcísio Meira comemora volta ao cinema
Tarcisio Meira celebrou a estreia de seu mais novo filme “Não Se Preocupe, Nada Vai Dar Certo" em uma sessão especial para convidados que aconteceu na noite dessa segunda-feira (1º) no Shopping Cidade Jardim, na Zona Sul de São Paulo. Depois de emocionar o público recentemente com sua participação como o generoso Teodoro, de "Insensato Coração", o ator comemora também a volta ao cinema após de 20 anos sem aparecer nas telonas. Acompanhado de sua mulher, Glória Menezzes , o ator contou porque ficou tanto tempo longe das produções brasileiras.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

“Nós lutávamos contra uma série de dificuldades que enfrentávamos, não só pelas limitações tecnológicas, como pela pobreza do nosso cinema. Nós queríamos fazer um bom cinema e não conseguíamos porque não tínhamos filmes virgens, as câmeras não eram tão boas, o parque de iluminação era muito caro, então tínhamos limitações muito sérias para fazer um bom filme”, explicou. “O ator que queria trabalhar, se expressar da melhor maneira possível não conseguia, porque ele ficava muito nervoso. Não podia errar porque não tinha filme para gravar”.

Tarcísio Meira e Glória Menezes
Orlando Oliveira/AgNews
Tarcísio Meira e Glória Menezes

Seu último filme “Boca de Ouro”, dirigido por Walter Mancini , ganhou prêmios internacionais e Tarcísio foi convidado para refilmar o mesmo roteiro em uma versão americana... O estopim para que ele ‘abandonasse’ o cinema brasileiro de vez. “Os americanos me convidaram para fazer uma versão e eu fiz. Lá eu vi tanta riqueza, tanta fartura e cheguei à conclusão que não poderíamos competir de igual para igual”.

Apesar das impressões do passado, Tarcísio admite que o cinema brasileiro evoluiu muito e não pensa em parar só neste filme. “Agora a tecnologia aperfeiçoou as câmeras, simplificou a iluminação e a gente pode fazer um filme tão bom quanto eles fazem. O cinema brasileiro hoje é festejado por todos que assistem”, comemora. “Quero fazer quantos filmes aparecer agora, já tenho algumas propostas a serem pensadas, mas vamos devagarzinho, uma coisa de cada vez.

Tarcísio Meira e o diretor do longa Hugo Carvana
Orlando Oliveira/AgNews
Tarcísio Meira e o diretor do longa Hugo Carvana

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.