Apresentadora, que também é madrinha de bateria da Tom Maior, quer conhecer todas as escolas de samba de São Paulo

A apresentadora Tania Oliveira vai desfilar pela Flor de Vila Dalila, no Grupo I
Divulgação
A apresentadora Tania Oliveira vai desfilar pela Flor de Vila Dalila, no Grupo I
A rainha de bateria da Flor de Vila Dalila, Bianca Soares, e Tania Oliveira
Divulgação
A rainha de bateria da Flor de Vila Dalila, Bianca Soares, e Tania Oliveira
A apresentadora Tania Oliveira está cada vez mais envolvida com o carnaval de São Paulo. No ano em que completa cinco anos desfilando pela Tom Maior, a ex-panicat vai vestir pela primeira vez a faixa de madrinha de bateria da vermelha e amarela paulistana. Além disso, Tania promete voltar ao Anhembi na segunda-feira, 20 de fevereiro, desta vez sambando pela Flor de Vila Dalila, no Grupo 1 da Uesp (divisão abaixo do Grupo de Acesso).

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

O interesse pela agremiação veio por acaso, em uma visita ao ateliê de Lynno Brandão , que faz suas fantasias da Tom Maior. “Eu vi alguns desenhos espalhados na mesa e achei todos eles lindos. Foi nesse dia que eu descobri que ele era carnavalesco da Vila Dalila também”, explica Tania. “Ele começou a me contar a história da escola tão emocionado, com tanta vontade de fazê-la ser famosa novamente que eu me ofereci para ajudar. Ele começou a chorar”, conta.

SEM HOLOFOTES

A Vila Dalila foi fundada em 1973 e já desfilou quatro anos no Grupo Especial na década de 1980. Sobre a diferença na dimensão do carnaval e da falta de cobertura pela mídia, Tania diz que não está preocupada. “O que eu estou mais curiosa é em saber se a escola vai conseguir subir para o Grupo de Acesso. Vamos ver. Eu sou pé quente”, garante a musa, que ainda não sabe em que lugar do desfile vai estar.

Tania Oliveira também é madrinha de bateria da Tom Maior
Lê Taccilo/Divulgação
Tania Oliveira também é madrinha de bateria da Tom Maior
A apresentadora ainda definiu como meta conhecer todas as escolas de samba de São Paulo. “Vou começar pelas da Liga. Eu já conheço seis”, explica. Contando os grupos Especial e de Acesso, são 22 agremiações. “Não sei se vou conseguir até o carnaval, mas depois eu continuo. Eu quero ver como é. Não tenho intenção nenhuma de entrar para livro dos records ou coisa assim”, deixa claro.

PAIXÃO VERMELHA E AMARELA

Sobre o posto de madrinha de bateria da Tom Maior, ela resume: “Foi um presente, uma surpresa. Estou superansiosa. Sou completamente apaixonada pela escola”, garante. Não bastasse tudo isso, ela ainda se envolveu na campanha de natal da agremiação. “Estou empenhada. São 500 crianças. Quero agitar o evento”, garante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.