Dirigentes prometem grandes surpresas para o carnaval de 2011

A Super Liga das Escolas de Samba de São Paulo, que acaba de completar dois anos, comemorou neste sábado (18), na quadra da Império de Casa Verde, em São Paulo, o lançamento do CD e DVD que traz como principal novidade o trabalho ao vivo. “Esse ano nós conseguimos colocar em prática um projeto que era fazer um trabalho diferenciado do anterior que seria ao vivo,num molde e acústica diferente, com tecnologia de captação de som e imagem de alta qualidade. Esse foi, com certeza, um dos melhores trabalhos já feito pelas escolas de samba de São Paulo. As nossas escolas estão bem satisfeitas”, declarou o presidente Paulo Serdan que substituiu Thobias da Vai-Vai , com quem, fundou a entidade em abril de 2008.

Para o carnaval de 2011 as expectativas tomam conta das escolas. “O carnaval tem crescido de ano a ano e nós conseguimos avançar no quesito som e as escolas estão se preparando muito em relação às artes plásticas. Houve um investimento muito maior em termos de fantasia, em alegorias, o que eu acredito que está muito bem valorizada para o próximo ano”, declarou Paulo.

A festa que começou por volta da meia-noite, recebeu a bateria da Torcida Jovem que não fez feio e animou os passistas. Diferente do ano passado, em que as escolas se apresentavam com uma única bateria, cada uma traz a sua e faz seu espetáculo. “A surpresa é que cada escola está preparando a sua”, responde o presidente Serdan.

A rainha de bateria, Valeria de Paula que desfila pela Acadêmicos do Tucuruvi, também esteve na festa, e não parou de sambar ao som de Pérola Negra que embalou musicas como "País Tropical", de Wilson Simonal e "Não Quero Dinheiro", de Tim Maia .

A também simpática Camila Silva que sai na frente da bateria pela Vai-Vai, marcou presença e distribuiu sorrisos. Já Gracyanne Barbosa , rainha de bateria da Império de Casa Verde, a mais esperada da noite, não apareceu.

Outra presença ilustre foi do veterano Osvaldinho da Cuíca que apesar dos seus 71 anos, sendo 50 dedicados ao samba, mostrou que tem samba no pé e muita ginga com sua cuíca. “Eu tenho a música como minha profissão, já criei vários sambas enredo e, agora, faço sambas sobre a cultura de São Paulo”, declara o simpático senhor que perdeu a unha do dedo indicador por participar três dias seguidos da gravação do CD e DVD.

Mas, quem pensa que isso foi motivo para parar, se engana. “Eu passei super bonder, e coloquei durex, quer ver?”, brinca Osvaldinho que além de representar tamanha importância para o samba nacional, já participou de criações importantes de samba enredo na Vai-Vai, Acadêmicos do Tucuruvi, Gaviões da Fiel e outras.

E apesar da pouca ventilação, os passistas não desanimaram, e mostraram que sabem se divertir. Para fechar a festa, que só terminou quando o dia raiou, a responsabilidade ficou com a Vai-Vai que sacudiu a quadra.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.