Decisão saiu nesta segunda, mas advogado do jogador diz que vai recorrer. Pato ainda terá que pagar R$ 495 mil à ex-mulher

Sthefany Brito em seu casamento com o jogador Alexandre Pato, em julho de 2009
Divulgação
Sthefany Brito em seu casamento com o jogador Alexandre Pato, em julho de 2009
Enquanto Alexandre Pato é notícia nesta segunda-feira (28) - por conta de uma torcedora especial que assistia ao jogo de seu time Milan contra o Napoli, a suposta namorada Barbara Berlusconi - , a ex-mulher do jogador, Sthefany Brito , comemora.

VIDEO: Pato e Barbara Berlusconi em jantar romântico na Itália

FOTOS: Conheça Barbara Berlusconi, a herdeira bilionária que conquistou Pato

Neste mesmo dia, saiu a sentença referente à pensão alimentícia que a atriz deve receber até junho de 2012: R$ 50 mil mensais. Sthefany ainda terá direito a receber R$ 495 mil, referentes à diferença do valor provisório determinado na citação (em 26 de junho de 2010), quando o jogador começou a depositar R$ 5 mil por mês à ex-mulher.

No processo, que corre em primeira instância – "vamos recorrer da decisão", avisa o advogado do jogador, João Paulo Lins e Silva -, Sthefany conseguiu provar que o então marido depositava mensalmente R$ 50 mil em sua conta (com exceção do primeiro mês de casada, quando recebeu R$ 60 mil do craque). Eles ficaram casados por nove meses.

No texto da decisão, a juíza do caso, Maria Cristina Brito Lima , da 1ª Vara de Família do Rio de Janeiro, diz que Pato estaria, inclusive, agindo de má fé ao contestar o valor de R$ 50 mil, já que durante o casamento concordava que esse era o valor necessário para suprir às necessidades da mulher. “O que jamais se poderia esperar de um homem que aspira ser ídolo de multidões na sua área tal atitude”, escreveu.

O advogado de Pato, contesta: "Respeito a opinião da juíza, mas é muito interpretativo. Temos que levar em conta que agora ela (Sthefany) está no Brasil, pode trabalhar de novo, se recolocar no mercado de trabalho. A situação é diferente da vida que eles levavam na Itália", diz.

OPINE: Sthefany Brito deve receber pensão vitalícia de R$ 50 mil?

A juíza explica que tomou a decisão com base em delcarações de Pato e Sthefany, que davam a entender que ele propôs o pagamento de uma “mesada” para que a atriz parasse de trabalhar. Diz o texto: “como a ré (Sthefany) esclarecera ao juízo que: ‘a proposta fora formulada à Ré da seguinte forma: eu pago e você não faz novela’; ‘que o Autor (Pato) era pessoa ciumenta’; ‘que também na Itália não podia trabalhar, a pedido do Autor’; que a Ré tinha apenas que ser mulher dele’. E como a Ré aceitou a ´proposta´ do Autor, de não trabalhar e ser apenas sua esposa, acabou por perder contratos de trabalho como atriz e também de publicidade, ficando afastada da TV e, por conseguinte, tendo esmaecida sua figura no meio artístico onde trabalha, o que hoje dificulta a sua reinserção profissional”.

Sthefany Brito e sua empresária Márcia Marba, no dia 9 de fevereiro: na audiência a atriz fez o pedido de pensão de R$ 50 mil, aprovado nesta segunda (28)
Ag News
Sthefany Brito e sua empresária Márcia Marba, no dia 9 de fevereiro: na audiência a atriz fez o pedido de pensão de R$ 50 mil, aprovado nesta segunda (28)

Por fim, ficou decidido que a pensão não será vitalícia, como queria Sthefany . A juíza justifica a decisão da seguinte forma: "É fato que a Ré é pessoa jovem (Sthefany tem 23 anos), que poderá ser reinserida no mercado assim que ficar esquecido do público o episódio de sua separação”; “Portanto, não se trata aqui de alimentos em caráter vitalício, mas sim alimentos temporários (24 meses a contar da data da citação), de forma a que a mesma possa se manter durante o período de reenquadramento profissional”.

Segundo o advogado de Pato, até o fechamento desta matéria o jogador ainda não havia sido informado da decisão: “Ainda não falei com ele, caiu na caixa postal e deixei uma mensagem. Ele está jogando. Mas a gente já tinha conversado antes e ele tinha uma idéia de que isso poderia acontecer. Sabia que existia esse risco, mas também sabe que podemos recorrer. A esperança dele é que a gente consiga sucesso no recurso”, diz o advogado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.