Cantor prestigiou a pre-estréia de "Priscila, Rainha do Deserto" e falou sobre preconceito contra drag queens e homossexuais

Sidney Magal:
Claudio Augusto
Sidney Magal: "O mundo está livre, aberto para que as pessoas sejam felizes"
Sidney Magal prestigiou nessa sexta-feira (16) a pré-estreia do musical "Priscilla, Rainha do Deserto" no teatro Bradesco, em São Paulo, e falou da importância do espetáculo. "Priscila é o emblema maior de toda essa loucura, descontração. Acho que o preconceito é uma coisa já ultrapassada. O mundo está livre, aberto para que as pessoas sejam felizes!", disse.

Siga o iG Gente no Twitter e receba notícias dos famosos em tempo real

Magal contou que nunca teve nenhum tipo de intolerância com drag queens e nem com homossexuais. "Nunca foi problema para mim, já fui muito cantado por homens, trabalhei na noite por muitos anos, com vários travestis, prostitutas, artistas em geral. Isso não me fez ter medo de nada, porque somos todos iguais, somos todos seres humanos maravilhosos", comentou.

Xanadu

Sidney Magal se despediu do musical "Xanadu" no dia 9 de março, onde foi substitído por Miguel Falabella, que também é o diretor do espetáculo. Em entrevista, ele explicou o motivo. "Já estava no meu contrato que ficaria até esse dia. Tenho apresentações em São Paulo agendadas, fico o tempo todo viajando e, por isso, não pude continuar".

LEIA AINDA: Após acidente em "Xanadu", Danielle Winits volta aos palcos: “Foi muito difícil entrar em cena”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.