Atriz defende a liberdade do vestimento islâmico após sua proibição em alguns países ocidentais

Scarlett Johansson defende direito de mulheres usarem burca em países ocidentais
EFE
Scarlett Johansson defende direito de mulheres usarem burca em países ocidentais
A atriz americana Scarlett Johansson considerou "absurda" a proibição em alguns países ocidentais do uso da burca islâmica, em entrevista da edição alemã da revista "GQ" publicada nesta quinta-feira.

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

DF"É um absurdo dizer que roupa alguém pode ou não usar", avalia a atriz, conhecida por seus papéis em "Encontros e Desencontros" e "O Encantador de Cavalos".

Scarlett acrescenta que "uma minoria" entre as mulheres muçulmanas é "forçada" a usar a burca e a maioria usa para mostrar suas "convicções religiosas".

"Para mim é difícil estar em lugares onde a sociedade se baseia na opressão da mulher", afirma.

Segundo a atriz, de 26 anos, "ainda falta muito para a igualdade ser alcançada" entre homens e mulheres, e lamenta que "milhões de mulheres em todo o mundo sejam maltratadas e discriminadas". EFE


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.