Cantora falou ainda que não se considera atriz e não pretende virar uma "Fernanda Montenegro" de uma hora para a outra

Sandy interpreta
TV Globo / Divulgação
Sandy interpreta "A Reacionária do Pantanal" em "As Brasileiras"
Sandy concedeu uma entrevista ao jornal “O Globo” deste sábado (24), na qual defendeu o casamento homossexual e também o aborto quando a gravidez representa algum risco para a mulher ou para o bebê. A cantora falou ainda sobre religião e disse que, apesar de suas participações como atriz – tanto em filmes, novelas e seriados –, não se considera uma delas.

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

A cantora vai interpretar a protagonista de “A Reacionária do Pantanal” da série “As Brasileiras”, personagem que tem preconceito contra homossexuais.

LEIA TAMBÉM: Samara Felippo grava com Sandy para o “Superbonita”

E MAIS: Sandy grava entrevista com Preta Gil para o “Superbonita”

Confira abaixo os principais trechos da entrevista:

Aborto:

“Aborto, sob o ponto de vista jurídico, é crime. Eu defendo a descriminalização, principalmente quando a gravidez representar risco para a mulher ou para o bebê”.

Casamento Homossexual:

“Vejo como uma coisa natural. Sou a favor do casamento gay. Acho que todo mundo tem os mesmos direitos e tem que ser feliz. O problema maior hoje é homofobia, crime hediondo, cruel”.

Religião:

“Sou batizada pela igreja católica, mas não sou praticante. Eu casei na igreja católica e na luterana, que é a do meu marido. Não sou a favor de alguns preconceitos da Igreja [...] Sou contra o celibato, por exemplo, e acho muito retrógrado não usar camisinha”.

Carreira de atriz:

“Não posso dizer que me sinto discriminada e nem que as pessoas tenham preconceitos contra mim como atriz, por um único motivo: eu não sou atriz, no sentido de pronta e acabada. [...] Eu estava brincando de ser atriz. Faço um trabalho de atriz eventualmente. Nesses momentos posso ser chamada de atriz, mas não tenho essa formação. Então, é melhor eu não me encaixar muito para não ser comparada com as feras. Não tenho a pretensão de virar a Fernanda Montenegro da noite para o dia”.

Necessidade de ser mulher:

“Nunca tive a necessidade de me mostrar mulher. Essa é uma coisa que foi criada pela mídia. Eu gostaria que as pessoas tivessem uma imagem real do que eu sou”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.