A revista francesa "L'Express" publicou uma matéria dizendo que ela queria deixar o noivo depois de descobrir segredos dele

Príncipe Albert e Charlene Wittstock
SplashNews
Príncipe Albert e Charlene Wittstock

Três dias antes da celebração do casamento do Príncipe Albert II de Mônaco e a sul-africana Charlene Wittstock , uma revista francesa revelou nesta terça-feira a suposta intenção da ex-nadadora de anular os preparativos do enlace e voltar a seu país. informação desmentida "formalmente" pelo Palácio.

A revista "L'Express" indica que "tudo começou há uma semana, com a ida da futura princesa ao aeroporto de Nice", no sudeste da França, decidida a tomar um voo para a África do Sul, após supostamente descobrir que a vida de seu noivo "não era tão exemplar como imaginava". A publicação aponta que o príncipe e pessoas de seu entorno precisaram realizar "uma persuasão infinita" para evitar que Charlene embarcasse.

Na ausência de novos dados, a "L'Express" especula que tipo de descoberta a sul-africana poderia ter feito sobre o passado de Albert II, que reconheceu publicamente dois filhos fruto de relações não-oficiais: Alexandre Coste , nascido em agosto de 2003 em Paris, e Jazmin Grace Grimaldi , nascida em 1992.

O Palácio do Principado apressou-se em "desmentir formalmente as falsas alegações" publicadas, antes da celebração da cerimônia civil, nesta sexta-feira (01), e do casamento religioso, no sábado (02)."Esses rumores têm como objetivo manchar gravemente a imagem do soberano, e em consequência a de Charlene, e representam um prejuízo grave para este feliz acontecimento", indicou o Palácio em comunicado ao qual a Agência Efe teve acesso.

Apesar disso, a "L'Express" acrescenta que a noiva, que nesta semana foi a Paris para as últimas provas do vestido, aparentemente "evita ostensivamente" as reuniões e festas familiares, o que contribui para aumentar os rumores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.