O policial Scott Smith interrogou Dr. Conrad Murray dois dias após a morte do cantor e apresentou o áudio no depoimento

Scott Smith no depoimento
Reprodução
Scott Smith no depoimento
Nesta sexta-feira (7) aconteceu o nono dia de julgamento de Dr. Conrad Murray , acusado de homicídio culposo – quando não há intenção de matar – pela morte de Michael Jackson .

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

O policial Scott Smith – que interrogou o médico particular do cantor dois dias após sua morte - foi a terceira testemunha a depor e revelou ter encontrado maconha no kit de barbear de Michael Jackson. O policial teria recebido o kit da família do cantor e revelou que dentro dele havia maconha, além de frascos vazios do remédio Temazepan.

O detetive disse ainda em depoimento que o banheiro da suíte de Michael estava todo bagunçado e continham frascos vazios de Diazepam e Lorazepam.

LEIA MAIS: Foto de Michael Jackson morto é apresentada no julgamento

Smith também apresentou uma conversa gravada com Dr. Murray, na qual o médico afirma não saber se Michael era atendido por outros médicos no início de seus trabalhos ao músico. No áudio, o médico aparentava estar calmo e respondeu todas as informações básicas que lhe eram pedidas.

Na última quinta-feira (6), o toxicologista Daniel Anderson , funcionário do IML de Los Angeles, revelou no tribunal que foram encontradas doses de Propofol no estômago do cantor e também na urina, além de outros medicamentos em seu sangue.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.