Ex-Beatle falou sobre sua relação com as drogas à revista "Rolling Stone"

Paul McCartney estampa a capa da edição de março da revista americana
Divulgação/Rolling Stone
Paul McCartney estampa a capa da edição de março da revista americana "Rolling Stone"
Paul McCartney revelou à revista americana "Rolling Stone" que parou de fumar maconha. Na edição de março da publicação, o ex-Beatle conta que tomou a decisão por causa da filha mais nova, Beatrice , de 8 anos, do casamento com Heather Mills . "Quando você tem uma criança, seu senso de responsabilidade aparece, se você tiver sorte. Fumei bastante, mas foi a minha cota, acabou", confessou.

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

De acordo a revista, Paul foi introduzido à maconha nos anos 1960 pelo cantor Bob Dylan . Depois disso, ele teria consumido outras drogas, como heroína, cocaína e LSD, que teriam sido fonte de inspiração para algumas das músicas mais conhecidas dos Beatles.

CONFIRA AQUI: Brad Pitt sobre depressão: "Eu estava fumando muita maconha"

Ainda segundo a "Rolling Stone", o cantor foi preso em 1972 na Suécia por porte de maconha. Oito anos depois, ele foi deportado do Japão depois que policiais encontraram a droga em sua mala. Na ocasião, Paul admitiu que não conseguia parar de fumar maconha, porque a droga era "muito boa".

Em 1984, o ex-Beatle foi preso em Barbados, depois de ser flagrado comprando maconha com a primeira mulher, Linda , em uma praia.

LEIA TAMBÉM: Justin Timberlake revela que fuma maconha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.