De férias da TV, atriz que completa 30 anos este ano ainda não pensa em filhos. "Por enquanto, os animais são os meus filhinhos"

Paola Oliveira e Marlon Brando:
Joyce Magda/Divulgação
Paola Oliveira e Marlon Brando: "Gatos são carinhosos, tranquilos, fáceis de cuidar; impossível ter um só"



Marlon Brando foi o par da atriz Paola Oliveira em sessão de fotos que aconteceu na tarde desta quinta-feira (15) em São Paulo. O encontro se deu nos bastidores de campanha da ONG AMPARA Animal, em parceria com a TV Bicho, que atua em defesa dos direitos dos bichos. Paola é uma das convidadas da campanha e Marlon Brando é um gato branco SRD (sem raça definida), que ela defende com unhas e dentes. "Você pode ser tão feliz adotando um animal abandonado quanto comprando um de raça."

Paola Oliveira e Marlon Brando nos bastidores de campanha da ONG AMPARA Animal
Joyce Magda/Divulgação
Paola Oliveira e Marlon Brando nos bastidores de campanha da ONG AMPARA Animal
E é fácil ver porque esse assunto a deixa inspirada. “Cresci no meio de cachorros, meu pai trabalhava no canil da polícia militar e em casa eu sempre tive cachorro. Tenho paixão por bichos, por natureza, mas só depois de adulta é que tive o prazer de conhecer o que são os gatinhos. Atualmente eu tenho nove animais, um gato e um cachorro em São Paulo, e seis gatos e um cachorro no Rio. Na minha casa tem mais bicho do que gente.”

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades

Maquiador dá uns retoques no make de Paola para as fotos da campanha AMPARA Animal
Joyce Magda/Divulgação
Maquiador dá uns retoques no make de Paola para as fotos da campanha AMPARA Animal
De férias da TV até o fim do ano, Paola viajou do Rio para São Paulo por conta de um trabalho comercial, e aceitou o convite da ONG Ampara para ser uma das 12 estrelas que defendem a causa dos animais. As outras são Cleo Pires , Fernanda Tavares , Yasmin Brunet , Ellen Jabour , Fiorella Mattheis , Fernanda Motta , Raica Oliveira , Thaila Ayala , Sabrina Sato , Gianne Albertoni e Suyane . Todas serão fotografadas por Jacques Dequeker . O resultado do trabalho será um calendário e uma exposição de fotos, marcada para 12 de abril, no Shopping Iguatemi, em São Paulo. Todas elas prometem estar presentes.
O primeiro gato de Paola foi um resgate que ela fez de um filhote machucado depois de uma gravação
Joyce Magda/Divulgação
O primeiro gato de Paola foi um resgate que ela fez de um filhote machucado depois de uma gravação
Paola vive no Rio com o namorado, o ator Joaquim Lopes , mas o casal não pensa ainda em filhos. “Me sinto casada com ele, mas por enquanto os bichos são os meus filhinhos”, diz a atriz, que vai fazer 30 anos este ano. Enquanto isso, tem se provado uma mãe cheia de vocação. “Cuido deles como gostaria de ser cuidada. Nem levo meus bichos ao pet shop, eu mesma dou banho e corto as unhas.”

Sem projetos para o cinema, Paola espera a definição de seu próximo trabalho na TV, o que deve acontecer mais para o fim do ano. “Sinto a necessidade, nesse momento da minha vida, de fazer uma personagem mais pé no chão, mais guerreira. Meus pais são do interior, eu cresci no campo, fui criada com o pé no chão. Queria mudar essa imagem da mocinha romântica que as pessoas vinculam a mim.”
Confira o bate-papo com a atriz.


Paola Oliveira: fã da causa pela adoção de animais abandonados
Joyce Magda/Divulgação
Paola Oliveira: fã da causa pela adoção de animais abandonados
iG: Como é a história dos bichos na sua vida?
Paola Oliveira: Eu tinha muita familiaridade com cachorros e sempre ouvia falar da personalidade dos gatos. Um dia, saindo de uma gravação, vi um gatinho com as patas amarradas, todo machucado. Ele era muito novinho, não aguentei e voltei para pegá-lo, mesmo sabendo que não tinha muito jeito com os gatos. Pensei em tirá-lo daquela situação e cuidar dele para depois doá-lo para alguém. Não doei e desde então sou apegada a gatos. O gato é carinhoso, tranquilo, fácil de cuidar, limpo, tudo de melhor. É inevitável ter mais do que um.

iG: E como é a sua convivência com os seus animais?
Paola Oliveira:
Tenho uma gatinha chamada Fortuna que esta em crise de identidade, porque a gente chama o cachorro, o Ajah, e ela é que responde, vem correndo, senta e fica. E quando eu vou correr na rua ela me acompanha, quando eu malho também.

iG: Que tipo de cuidados você tem com o seu corpo?
Paola Oliveira:
Não sou muito radical com a alimentação, sou mais da conscientização do que da coisa brusca, de mudar meus hábitos de uma hora para a outra. E desde que o mundo é mundo tem muita coisa com que a gente concorda e outras não. Não sou vegetariana, mas deixei de comer carne vermelha, ainda como frango e peixe. Saio para correr na rua e faço alguma ginástica em casa mesmo. Antes de ser atriz eu era da área da saúde, trabalhava com fisioterapia e lá tinha um lema: melhor sempre prevenir do que cuidar de uma doença.

iG: Como é a convivência de seu boxer Ajah em meio a tantos gatos?
Paola Oliveira:
Ganhei o Ajah de presente, ele é um demônio da tasmânia, come tudo, rasga tudo, mas ao mesmo tempo é muito fofo e consegui que ele fizesse amizade com os gatos. Às vezes você imagina que ter os dois deve ser uma coisa assustadora, mas eles se dão superbem.

iG: O que você costuma fazer, quando está em casa com eles?
Paola Oliveira:
A minha rotina é muito corrida, e quando quero descansar, fico em casa com eles.Gosto de cuidar deles e isso acaba sendo um prazer e um hobby.

iG: E quando vai viajar, o que faz com eles?
Paola Oliveira:
Deixo tudo organizado para que uma pessoa vá duas vezes ao dia dar comida, água e ver se está tudo bem, porque cuido deles como gostaria de ser cuidada. Quando deixei o meu cachorro em um canil, chequei se estava tudo certo para recebê-lo.

iG: Você já gravou uma cena com bichos?
Paola Oliveira:
Em minha primeira novela, “Belíssima”, tinha um gatinho de estimação da família que ficava com o Lima Duarte , e todos do elenco conviviam com ele. Então sim, já tive essa oportunidade de trabalhar com um bicho em cena e curtia muito.

iG: Tem alguma personagem que você tem vontade de interpretar?
Paola Oliveira: Eu tenho vontade de fazer uma personagem que não fiz ainda, porque as pessoas me vêem como uma moça elegante, uma mocinha de época. E a minha vontade é interpretar uma personagem do campo, mais rural, pé no chão e que lide com animais, pode ser até um bichinho de estimação, seria muito legal. Quanto às novelas, só para o segundo semestre. Em cinema ainda não tem uma personagem ou projeto de fato.

iG: Como foi participar do ensaio para essa campanha da AMPARA Animal?
Paola Oliveira:
Estou muito feliz de estar aqui hoje e participando dessa campanha, vejo que tem muita gente por trás disso, batalhando e pondo a mão na massa. Voltando ao meu lema de sempre prevenir, essa campanha quer promover castração, vacinas, diminuir essa superpopulação de animais que está nas ruas. Se as pessoas organizarem o que está errado já é um grande passo.

iG: O que as pessoas podem fazer pelos animais?
Paola Oliveira:
Eu costumo falar para as pessoas que querem comprar um animal de raça que adotar um de rua e SRD (Sem Raça Definida) é muito bom. Você pode não comprar um animal e ser tão feliz quanto. Eu acho que tudo está ligado: não fazer mal aos animais é não fazer mal ao ser humano, quem tem sensibilidade para um, tem para o outro também. E não ter preconceito com gato ou cachorro. Às vezes a gente, com uma palavrinha, desestimula o próximo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.