Elissa Fleak disse que encontrou uma "pequena farmácia" e o sedativo estava "quase vazio"

A médica legista Elissa Fleak em seu depoimento
Reprodução
A médica legista Elissa Fleak em seu depoimento
O oitavo dia de julgamento de Dr. Conrad Murray começou nesta quinta-feira (6) em um tribunal de Los Angeles. O médico é acusado de homicídio culposo – quando não existe a intenção de matar – pela morte de Michael Jackson .

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

A médica legista Elissa Fleak depôs após ser exibida uma gravação do cantor. Ela revelou que encontrou frascos de remédios no quarto de Michael Jackson e, ao ser questionada pela promotoria se havia Propofol no quarto do cantor, ela respondeu categoricamente com um “sim”.

LEIA MAIS: Foto de Michael Jackson morto é apresentada no julgamento

Elissa disse ainda que encontrou uma “pequena farmácia” no local. Diazepam, Lorazepam e Temazepam, além do Propofol, foram encontrados por ela. A promotoria apresentou uma série de fotos de objetos da mansão de Michael Jackson como evidência e a legista confirmou que todos os itens apresentados no Tribunal estavam no quarto do cantor. Além disso, ela fez uma revelação: um frasco de 100 ml de propofol aberto foi encontrado em uma das bolsas de soro do quarto de Michael Jackson. “O frasco estava quase vazio”.

A promotoria apresentou mais indícios contra Dr. Murray, ao mostrar sete frascos de Propofol fechados.

De acordo com o site "TMZ", Dr. Conrad Murray seria ouvido nessa quarta-feira (5), mas o depoimento não aconteceu por falta de tempo. A publicação acredita que nesta quinta o médico particular do cantor dê a sua versão sobre a morte de Michael Jackson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.