Fraudes nas contas fez com que a cantora encerrasse as obras de uma escola para meninas

Madonna começando a obra do que seria a escola
GettyImages
Madonna começando a obra do que seria a escola "Raising Malawi"
Um dos sonhos de Madonna foi por água abaixo. o projeto da cantora de construir um orfanato para meninas no Malauí, na África, foi cancelado depois que diretores do "Raising Malawi" foram demitidos de seus cargos.

De acordo com o jornal britânico “Daily Mail”, o diretor do projeto, e namorado da personal trainer da cantora, saiu do cargo em outubro do ano passado sob denúncias de má gestão e uso excessivo de dinheiro para a construção da escola. Ele foi flagrado usando o dinheiro destinado à obra para pagar carros, contas pessoais, altos salários e até mesmo titularidade de clubes.

Por conta disso, o plano de construir uma escola de US$ 15 milhões, equivalente a R$ 24 milhões, para 400 garotas foi abandonado. "Analisamos a situação e uma posição foi tomada para descontinuar a 'Raising Malawi Academy for Girls' como ela havia sido concebida", disse Michael Berg , co-diretor do Kabbalah Centre International - um dos patrocinadores do projeto -, ao jornal americano "The New York Times".

O grupo de diretores do projeto foi substituído pela própria Madonna e o empresário dela, Guy Oseary , que por enquanto ficam com a função de preservar e cuidar do que já foi feito, enquanto decidem como irão continuar os trabalhos no Malauí.

A cantora investiu US$ 11 milhões, equivalente a R$ 18 milhões, de seu próprio dinheiro no projeto, além de ser seu nome diretamente ligado a Raising Malawi. Nessa quinta-feira (24), Madonna se pronunciou e disse que ainda pretende usar todo o dinheiro arrecadado para ajudar o país. “Lá existe uma crise real na educação, 67% das meninas não vão à escola e isso é inaceitável. Nossa equipe vai trabalhar duro para melhorar essa situação da melhor forma que puder", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.