Jurada do “Se Ela Dança, eu Danço”, bailarina russa conta sua história e dá nota 10 para seu patrão, Silvio Santos

Lola Melnick, jurada do
Beto Lima
Lola Melnick, jurada do "Se Ela Dança, Eu Danço", retoca maquiagem: "Isso é uma coisa profissional. No meu dia a dia, não passo maquiagem nenhuma"

Lola Melnick esteve muitas vezes no Brasil antes de se mudar para cá, em 2010. Sua visita mais marcante foi em 2008, quando concedeu uma entrevista a Jô Soares . O momento foi positivo para quem assistiu ao programa e também para a própria dançarina, que recebeu diversos convites para trabalhar em emissoras brasileiras.

O SBT foi o canal que conquistou essa russa de 28 anos, que já morou em Paris, na Argentina, no Chile,  aprendeu a falar português com leve sotaque espanhol e promete nunca mais deixar o Brasil. “Aqui me sinto em casa porque as pessoas sabem viver, curtir, se divertir. São pessoas do bem, que tiram a última coisa que têm para te passar, porque existe essa coisa de bondade”, elogiou Lola, em entrevista ao iG Gente .

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

Lola Melnick:
Beto Lima
Lola Melnick: "Sou solteira por opção"
Lola tinha 14 anos quando deixou a ex-União Soviética (atual Ucrânia) e seguiu para a França na companhia do pai, que se mudou a trabalho. Pouco depois, foi para a Argentina pelo mesmo motivo. Por lá, estudou Direito. “Nunca pensei em trabalhar em televisão, nunca foi meu foco. Foi uma coisa da vida, eu era bailarina profissional, competia em concursos de dança. Fui estudar advocacia porque, na verdade, peguei a carreira de meu pai, que era diplomata”, explicou ela, que deixou o Direito de lado e começou a trabalhar em um canal argentino no programa sobre animais “El Portal de las Mascotas”.

Ainda na Argentina, ela fez também participação em uma novela. “Brinquei de atriz, mas não sou.” Do dia para a noite, arrumou as malas e mudou-se para o Chile após receber um convite de trabalho. “Honestamente, nunca achei que ia ficar por lá. Sempre pensei que ia voltar para a Argentina e, depois, para a Europa. Mas, como tudo, a vida vai te levando e você vai tomando as decisões que ela te apresentar.”

O embarque seguinte foi para o Brasil, onde segue como jurada do “Se ela Dança, eu Danço”, programa que iniciou sua segunda temporada em 3 de agosto e vai ao ar toda quarta-feira, às 20h15.

O cara me passou a aliança de outra mulher, com nome e data de casamento. Sacanagem."

Na atração – e longe das câmeras também – , Lola recebe diversas cantadas. Em uma das gravações da fase eliminatória, por exemplo, chegou a receber uma aliança e um pedido de casamento de um dos candidatos. “Gente, ele me passou a aliança de outra mulher. Com nome e data de casamento. Sacanagem”, disparou ela, que está solteira e se diverte com o assédio.

Confira bate papo com a Lola Melnick, a mulher que colocou Silvio Santos para dançar .

iG Gente: Já sofreu alguma ameaça ou crítica por dizer “não” a algum candidato?
Lola Melnick: Ameaça, não, mas crítica, muitas. É normal, porque alguns não entendem e acham que foram melhor que outros. Mas temos critérios suficientes para saber o que está bom, o que não está bom e o que nunca será bom.

Lola Melnick:
Beto Lima
Lola Melnick: "sou uma pessoa muito inquieta. Não sou uma pessoa de rotina, gosto de conhecer lugares novos, pessoas, culturas"

iG Gente: Em sua carreira, já passou por alguma peneira e foi desclassificada?
Lola Melnick: Com certeza. Gente, eu vivia de competição. Você está lá batalhando, treinando horrores para passar por uma etapa da competição e você leva o “não”. E muitas vezes eu falava: “nossa, mas por que não? O que eles estão procurando? Treinei tanto!”. Mas eles estão vendo de fora, eles sabem. Quantos “nãos” eu levei na minha vida para agora conseguir ser quem sou? Muitos.

iG Gente: E como você conseguiu superar esses "nãos" e não deixá-los te abalar a ponto de desistir?
Lola Melnick: Primeiro, acredito no que faço. Sempre acreditei. Segundo, é me superar. É falar: “você acha que não sou boa o suficiente? Vou te comprovar que sou melhor que o outro, que vou conseguir”. E trabalhar, trabalhar, trabalhar. Não me abalar pelo “não”, e sim tomar isso como um estímulo de melhorar.

Lola Melmick deixou sua terra natal aos 14 anos e passou pela França, Argentina e Chile antes de chegar ao Brasil
Beto Lima
Lola Melmick deixou sua terra natal aos 14 anos e passou pela França, Argentina e Chile antes de chegar ao Brasil
iG Gente: Teve um programa do Silvio Santos em que você dançou com ele. Que nota você dá para o Silvio como dançarino?
Lola Melnick:
Ah, dez! Tem que entender que ele é um conjunto. É um personagem tão gostoso, que, naquela hora, você nem presta atenção no que está acontecendo. Você simplesmente está curtindo o momento de estar dançando com ele.

iG Gente: E que nota dá a ele como patrão?
Lola Melnick: Eu o conheço faz pouco, mas posso falar da opinião das pessoas que não são conhecidas, que não são apresentadores, não são artistas. São os que você está vendo lá (aponta para os bastidores). São as pessoas que têm menos visibilidade, mas ao mesmo tempo são as que mais trabalham. E eles todos adoram Sílvio Santos.

iG Gente: Mas como é seu relacionamento com ele, tem contato?
Lola Melnick: Já fui várias vezes ao programa dele, é uma figura. É uma pessoa muito profissional, que entra meia hora antes no auditório para conversar com a plateia, para conversar com todo mundo, dar satisfação. Ele passa pelos camarins dos convidados para cumprimentar. Ele tem uma ótima memória, lembra de tudo e não escapa nenhum detalhe dele. Além do carisma, logicamente.

(Sílvio Santos) é um personagem tão gostoso, que você nem presta atenção no que está acontecendo. Você simplesmente está curtindo o momento de estar dançando com ele”.

iG Gente: Antes de vir para o Brasil, você trabalhou na Argentina e no Chile em programa sobre animais...
Lola Melnick: Na Argentina, era programa de animais. No Chile, já não. Era só um programa de animais e o resto era muita variedade, entretenimento, humor, entrevistas. Logicamente que tudo com meu estilo: um pouco espontâneo, natural, não fácil de dominar.

iG Gente: Como você se define?
Lola Melnick: Ai, é difícil se definir sozinha, né? Mas eu acho que não tenho muito filtro. (risos). Aquilo que sou, eu mostro. E agradeço quando as pessoas gostam. Aqueles que não gostam, também respeito. Não tem como agradar todo mundo. O que posso dizer é que, aquilo que você está vendo, é isso. E eu tenho um lema, que é alegria, ser feliz, me divertir, dar risada sempre. Fazer com que as outras pessoas também se divirtam, dêem risada.

Lola Melnick:
Beto Lima
Lola Melnick: "é difícil se definir sozinha. Mas eu acho que não tenho muito filtro"

iG Gente: Em 2008, você deu uma entrevista para o Jô Soares e você disse que queria vodca na caneca em que ele oferece água. Gosta da bebida?
Lola Melnick: Como é que ele me convida para casa dele -- porque o programa é a casa dele -- e me oferece água? Que coisa é essa? Que palhaçada é essa? Ainda mais para uma russa. É sério, sempre quando convidamos alguém para casa, é normal você oferecer no começo: “e aí, vamos beber o quê? Vamos brindar porque você está aqui. Bem-vindo a minha casa”. E eu estava esperando esse “bem-vindo à minha casa”. Olhei para a xícara e não tinha nada. Aí falei: “Ah, gente, assim não dá. Assim não, né?”. Aí ele topou. Depois quis tomar mais. E no segundo programa, já foi ele quem me ofereceu. Só que foi pinga.

iG Gente: Não gostou? O seu negócio é vodca mesmo?
Lola Melnick: Na verdade, não sou muito de beber. Nem vodca, nem nada. Sou um pouco de vinho, um pouco champanhe. Mas seguro bem, posso beber bem. A gente bebeu cachaça pura. Sério, pinga pura. E ele serviu ainda em uns copos bem grandes. O Ratinho também. No primeiro programa que fui, ele me ofereceu rabo de galo.

Lola Melnick estudou Direito antes de iniciar sua carreira na TV.
Beto Lima
Lola Melnick estudou Direito antes de iniciar sua carreira na TV. "Nunca pensei em trabalhar em televisão"
iG Gente: E você bebeu?
Lola Melnick: Então, vou te contar uma verdade. Achei que por ser de casa, SBT e tudo, seria alguma coisa de “vamos misturar água com alguma coisa vermelhinha lá e dar como se fosse rabo de galo”. O diretor me falou que ia ser isso. Na hora do primeiro gole, não prestei muita atenção porque a gente estava no maior papo. No segundo, eu falei “isso não é água nada. É pinga, meu querido. Pinga com vermute”. O que aconteceu foi que o Ratinho chegou para o diretor e falou: “Bota pinga nisso, vai ser rabo de galo mesmo!”. E posso te falar? Seguro melhor que todos eles juntos. (risos)

iG Gente: Você foi para a França, Argentina, Chile, agora está no Brasil. Isso foi apenas pelo rumo da vida, como falou, ou é uma inquietação?
Lola Melnick: A vida me levou, mas também sou uma pessoa muito inquieta. Não sou uma pessoa de rotina, não sou sedentária, gosto de conhecer lugares novos, pessoas, culturas. Sempre que vou a um país novo, tento entrar na cabeça das pessoas, na cultura. Sinto que devo esse respeito para a cultura deles. No caso do Brasil, foi um carinho desde criança. Quando eu era pequena, vi o Carnaval (pela TV) e falei para meu pai: “quando eu crescer, vou dançar lá”. Logicamente, ele desligou o telefone na minha cara e falou “você não vai sair com essa roupa”. Acho que o povo russo é muito parecido com o brasileiro. Me sinto em casa porque as pessoas sabem viver, se divertir. São pessoas do bem, que tiram a última coisa que tem só para te passar, porque existe essa coisa de bondade. E é muito como no meu país. Cada cidade é um mundo à parte. Não tem como não se apaixonar por esse País.

Quando eu era pequeninha, eu vi Carnaval e falei para meu pai: ‘quando eu crescer, vou dançar lá. Logicamente, ele desligou o telefone na minha cara e falou ‘você não vai sair com essa roupa’”.

iG Gente: E o que te prende aqui?
Lola Melnick:
É isso. Essa paixão pelo País. Desde o povo, até culturas, costumes, dança, música, clima, a natureza que vocês têm, tudo isso. Para mim, é maravilhoso. E eu não quero embora daqui, não.

iG Gente: Você comentou com seu pai que sairia no Carnaval e este ano você até trabalhou em Salvador para o SBT...
Lola Melnick: Eu saí também, pela X9 (em São Paulo) pela primeira vez na minha vida. Desfilei, tirei a roupa, a maquiagem, peguei o avião e fui para Salvador.

iG Gente: E o que você achou dessas duas festas?
Lola Melnick: A de Salvador, eu já conhecia. É uma loucura, é gostoso. Quando você vê esse oceano de gente, todo mundo dançando naquela terra, que é a terra de ninguém, é delicioso. Mas ali é mais de energia mesmo, de ferveção. Carnaval do Rio, de São Paulo, é mais um show visual, pra você ver, assistir, é uma coisa muito bonita.

Lola Melnick se reúne com toda a equipe do programa antes da gravação da atração
Beto Lima
Lola Melnick se reúne com toda a equipe do programa antes da gravação da atração

A dança é minha profissão, uma coisa que respeito muito. É a arte para qual eu trabalhei muito, eu treinei muito e ainda treino. Não uso como um jeito para seduzir”.

iG Gente: Durante a gravação do "Se Ela Dança, Eu Danço", você recebeu uma aliança de um dos candidatos. Como foi isso?
Lola Melnick: Mas você viu que safado? Ainda bem que tirei essa aliança do dedo e olhei para dentro. Gente, ele me passou a aliança de outra mulher. Com nome e data de casamento. Sacanagem. Olha o que os homens estão fazendo hoje em dia.

iG Gente: Mas você costuma passar por muitas situações como estas, leva muitas cantadas?
Lola Melnick:
Aqui no programa o que mais levo é isso, mas é muito bom. Porque assim, eles ficam naquela situação: eles tentam, mas ao mesmo tempo ficam com medo. Mas é bom, é gostoso.

iG Gente: Você está solteira por opção ou está em busca de um amor?
Lola Melnick: Eu já fui casada, mas sou solteira por opção. Também, tem tanto trabalho que não dá tempo nem para dormir.

iG Gente: Quais são suas manias?
Lola Melnick: De ordem e limpeza. Sou maníaca por isso.

iG Gente: Tem algum defeito?
Lola Melnick:
Vários! Por onde começo (risos)? Impaciente, terrivelmente impaciente. É um de tantos defeitos meus.

iG Gente: Então, uma qualidade, pra balancear todos os defeitos que você diz ter.
Lola Melnick: Qualidade? Qual é minha qualidade, Jarbas? (pergunta ao colega de bancada do programa, o ator e dançarino Jarbas Homem de Mello )
Jarbas: Bom caráter, amiga, companheira...
Lola Melnick: É uma só, meu anjo...
Jarbas: ...beija bem... (risos)
Lola Melnick: Não precisa tanto...

Lola Melnick entre João Wlamir e Jarbas Homem de Mello, também jurados do
Beto Lima
Lola Melnick entre João Wlamir e Jarbas Homem de Mello, também jurados do "Se Ela Dança, eu Danço"

iG Gente: O que ninguém sabe sobre você?
Lola Melnick: (Para por um tempo e pensa). As minhas tristezas, ninguém sabe de minhas tristezas.

Aquilo que sou, eu mostro. E agradeço que as pessoas gostem. Aqueles que não gostam, também respeito”.

iG Gente: Você usa a dança para seduzir?
Lola Melnick: Não... Para mim, a dança é minha profissão, uma coisa que respeito muito. É a arte para qual eu trabalhei muito, treinei muito e ainda treino. Faço balé clássico de ponta de segunda à sexta-feira, tomo outras aulas, para não perder o estado técnico e para aprender outras danças. Mas não uso como um jeito para seduzir. Se no caminho acontece, bem-vindo seja.

iG Gente: E você gosta de homem que dança?
Lola Melnick: Sim, eu sempre tive uma pequena atração por isso, posso falar. Mas é engraçado. Eu gosto muito dos homens que dançam, mas ao mesmo tempo, não gosto que meus namorados ou homens com quais tenho relacionamento dancem. É estranho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.