Se acusada, atriz poderá pegar pena de até três anos de prisão

AFP
Lindsay Lohan e sua advogada durante audiência nesta quarta-feira
A atriz Lindsay Lohan se declarou inocente nesta quarta-feira no caso em que é acusada de ter furtado um colar avaliado em US$ 2,5 mil (cerca de R$ 4,2 mil) de uma joalheria de Los Angeles.

Vestida de branco para uma breve aparição no tribunal, Lohan, de 24 anos, foi acusada de furto. Se acusada, poderá pegar uma pena de até três anos de prisão, disseram os promotores.

Lohan é acusada de sair da joalheria sem pagar por um colar de ouro em janeiro, apenas três semanas depois de encerrar sua quinta passagem por um centro de reabilitação de usuários de droga e álcool em três anos.

Amigos disseram que Lohan acreditava que o colar, já devolvido à polícia, estava em regime de empréstimo.

Aparentemente calma, Lohan deverá ser liberada com o pagamento de uma fiança, fixada em US$ 20 mil, depois de ser fichada e fotografada pelas autoridades do tribunal.

O caso relacionado ao furto é a mais grave acusação contra a atriz em mais de três anos frequentando tribunais, depois de ter fracassado em testes de drogas e ter passado breves períodos presa por uma condenação de 2007 por dirigir embriagada.

"Você não é diferente de ninguém, por isso não abuse da sorte", disse o juiz Keith Schwartz a Lohan, acrescentando que a acusação de furto era diferente das acusações anteriores contra ela, pois é um crime considerado mais grave, com punições maiores.

A atriz ainda está em liberdade condicional pelo caso de 2007 e foi advertida por uma juíza de Beverly Hills, em outubro, que ela poderia ficar seis meses na cadeia se escorregasse novamente.

Se condenada pelo furto do colar, ela também estaria em violação à liberdade condicional, o que significaria mais tempo de prisão para a problemática atriz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.