Depois do sucesso de viver sua primeira protagonista na TV, atriz fala sobre vaidade e a tristeza de perder a mãe aos 30 anos

Lília Cabral:
Dario Zalis/Divulgação
Lília Cabral: "Todo mundo tem um compromisso com o espelho. Eu nunca tive"

Em entrevista à revista "Contigo!" desta semana, Lília Cabral relevou que já teve síndrome do pânico e que, em momentos de crise, toma remédios. Quando tinha 30 anos, morava no Rio de Janeiro e longe dos pais, a atriz passou pela morte da mãe, vítima de câncer no pâncreas. "Mesmo sabendo que não era culpada pela morte dela, entrei em depressão e tive síndrome do pânico. Mas não tomo mais remédios como naquela época".

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

Sobre vaidade, Lília conta que Griselda a fez rever seus conceitos. A protagonista da novela "Fina Estampa" não cuida dos cabelos, não faz as unhas e nem tira o buço. "Minha grande vaidade é me transformar para viver um papel". Apesar de ser diferente na vida real, já que suas "lingeries são bem mais bonitas do que as da Griselda", Lília está curtindo não ter que ir ao salão toda semana. "Meu cabeleireiro vive perguntando quando vou fazer as sobrancelhas".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.