Atriz foi mestre de cerimônias da 5ª edição do Prêmio Contigo! de Teatro, no Rio de Janeiro

Lília Cabral foi a mestre de cerimônia do Prêmio Contigo de Teatro
Ag.News
Lília Cabral foi a mestre de cerimônia do Prêmio Contigo de Teatro
Lília Cabral foi a mestre de cerimônias da 5ª edição do Prêmio Contigo! realizado nessa segunda-feira (7), no Teatro Poeira, zona sul do Rio de Janeiro. A cerimônia premiou os grandes destaques da arte cênica brasileira divididos em 14 categorias, quatro delas escolhida pelos leitores da revista, em votação via web. De vestido preto com rendas, Lília fez piada ao referir-se a sua personagem de “ Fina Estampa ”, Griselda: “Hoje o Pereirão veste Prada”, brincou citando a comédia “O Diabo Veste Prada” e em seguida desejou “merda” a todos os concorrentes, para que ninguém esquecesse que a noite era do teatro.

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

Estilosa, Sophie Charlotte entregou o prêmio de melhor figurino
AgNews
Estilosa, Sophie Charlotte entregou o prêmio de melhor figurino
Sophie Charlotte subiu ao palco para entregar o primeiro prêmio da noite, o de melhor figurino, que foi recebido por Gabriel Vilela pela montagem de “Crônica da Casa Assassinada”, eleita pelo júri o melhor espetáculo dramático. A categoria cenário ficou com Daniela Thomas (que não estava presente) por “Pterodátilos”, peça que abocanhou ainda os prêmios de melhor comédia e de ator para Marco Nanini .

“Estou meio de Lineu, meio de Nanini”, disse o ator que saiu direto das gravações de “A Grande Família” para a premiação e fez breve discurso.

Débora Falabella passou a frente de Lília Cabral, Claudia Jimenez , Bárbara Paz , Mariana Lima e Denise Fraga com sua performance em “O amor e os outros estranhos rumores” que lhe rendeu o troféu de melhor atriz. Visivelmente emocionada, Débora agradeceu aos companheiros de cena: “Sem meu elenco isso não seria possível”, garantiu.

Grande homenageada da noite, a atriz Bibi Ferreira , de 90 anos, subiu ao palco duas vezes: uma para receber uma placa em homenagem ao pai, o dramaturgo e ator Procópio Ferreira e outra pelo conjunto de sua obra. “Aos 90 anos estou recebendo mais um prêmio, espero do fundo do coração que isso possa acontecer com cada um de vocês”, afirmou para aplausos da platéia de famosos.

Thiago Abravanel , que tem colhido elogios por seu desempenho visceral em “Tim Maia – Vale Tudo”, entregou o troféu de melhor musica nacional para “Emoções Baratas” e Danielle Winits , de vestido de paetês Pucci, o de melhor musical em versão brasileira para “Um Violinista no Telhado”. Em breve, Winits poderá ser vista nos palcos em “Xanadu”.

O melhor autor foi Jô Bilac , que nervoso, dedicou o prêmio à atriz Angela Vieira , para quem escreveu “O Matador de Santas” e Monique Gardenberg mostrou toda a força feminina ao deixar para trás Aderbal Freire Filho , Eduardo Tolentino , Luiz Villaça , Paulo de Moraes e Miguel Falabella , pela disputa de melhor direção. A diretora foi laureada pelo drama “Inverno da Luz Vermelha”, que tem no elenco Marjorie Estiano .

Na votação pela internet Lilia Cabral e José Mayer foram os melhores atores. A atriz dividiu o prêmio com João Fonseca , diretor de “Maria do Caritó”: “Ele me fez voltar a ser criança”, revelou que ressaltou a filha Giulia: “Eu fiz a peça pensando nela, nas cenas que ela ia gostar. Sei que passamos muito tempo fora de casa, às vezes os filhos acham que nós os abandonamos, mas isso nunca acontece”, frisou. Já José agradeceu os diretor Claudio Moeller e Charles Botelho e garantiu: “Nunca mais a música vai sair da minha vida”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.