Ator é filho de Bruna Lombardi com Carlos Alberto Riccelli e está no Brasil para lançar "Onde está a felicidade?"

Kim Riccelli ao lado dos pais Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli
AgNews
Kim Riccelli ao lado dos pais Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli
Anda bebê, Kim Riccelli , 30 anos, acompanhava os pais, os atores Bruna Lombardi e Carlos Alberto Ricelli , nos sets de gravações da TV Globo. O desejo estimulado na infância virou profissão: ele se formou em teatro pela Universidade da Califórnia. A parceira com os pais também se estende para o lado profissional. Ele atuou, colaborou no roteiro e, por vezes, fez papel de assistente de direção nos três filmes produzidos e roteirizados pelos pais. “Acho ótimo trabalhar em família”, diz o rapaz, que mora em Los Angeles, com os pais desde os anos 90.

Kim também descobriu outra paixão: a música. Há seis anos ele toca um instrumento suíço e vai lançar um cd instrumental até o final do ano nos Estados Unidos. “Cinema e música são minhas paixões”, revela ele, que há sete anos também acumula a profissão de professor de ioga.

iG: Como é trabalhar em família?
Kim Riccelli:
Eu acho ótimo. Somos muito amigos, tem discordância, claro. Mas é tudo numa boa. Isso nunca parte para o lado pessoal. Na hora do set a gente está lá pra fazer o melhor.

iG: As comparações com os seus pais são inevitáveis. Você fica irritado com isso?
Kim Riccelli:
Não. Ao contrário. Quando sou comparado a eles acho super legal. Eles são excelentes profissionais. Eu os acompanho desde pequeno. Ia nos sets de filmagens, nos estúdios da TV Globo. Pra mim é tão parte do dia a dia que não fico grilado. Tenho que mostrar trabalho para poder ser comparado a eles e espero que um dia seja digno disso.

iG: Quais os prós e contras de ser filho de pais famosos?
Kim Riccelli:
Não existe lado negativo. Não tive experiências de coisas ruins porque todo mundo sempre foi legal comigo. Meus pais são muito queridos. Famosos, mas muito queridos então sempre fui tratado com carinho. Sou sempre recebido bem. Pra mim é só coisa boa.

iG: Você foi praticamente criado nos estúdios da TV Globo. Não tem vontade de fazer TV?
Kim Riccelli:
Faria com maior prazer, mas fica difícil por uma questão de tempo. O cinema toma muito tempo. Fora isso, também sou músico. Cinema e música são minhas paixões. Até o final do ano quero lançar meu primeiro cd. Será instrumental. Há seis anos, toco um instrumento chamado hang, que vi pela primeira vez num festival de música em Los Angeles. É um instrumento suíço, raro. Fui à Suíça comprá-lo.

iG: Há alguns meses reprisou Vale Tudo, no canal Viva, e foi novamente sucesso. Seu pai já disse que não assistiu e você acompanhou?
Kim Riccelli:
Assistia quando dava tempo. Fiquei surpreso com as semelhanças com o meu pai. Passei a vida toda escutando comentários sobre o quanto somos parecidos e me impressionou ao ver a novela. Realmente, eu pareço muito com o meu pai.

iG: Você tem vontade de morar de vez no Brasil?
Kim Riccelli:
Tenho saudades do Rio. Me divido entre os dois lugares: tenho casa aqui e em Los Angeles. Minha rotina lá é bastante agitada, já tenho uma vida estruturada. Além de músico, sou professor de ioga há sete anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.