O ator disse que pessoas machistas geralmente têm aspectos não esclarecidos em suas vidas

Joaquim Lopes
Photo Rio News
Joaquim Lopes
Joaquim Lopes viveu o personagem Josué, em " Morde & Assopra ", da Globo, que começou a trama na pele de um machista do interior e acabou se apaixonando pelo amigo, Áureo ( André Gonçalves ).

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

O ator conversou com o iG sobre o final do folhetim e acredita que os homens machistas precisam rever os seus conceitos. “Acho que uma pessoa que é supermachão, daquele estilo homofóbico, geralmente tem alguma coisa que não está muito bem esclarecida para essa pessoa. Então, acredito que quanto mais brutamontes for, a pessoa tem que ver isso”, falou. “Sabe, é amor. Não tem diferença se é entre homem e mulher e espero que quem esteja passando por isso passe da melhor forma e seja feliz. Cada um tem a sua opção, sua escolha e eu respeito todas elas”, completou.

LEIA TAMBÉM: Joaquim Lopes : "Se vier um filho por aí, vou ficar muito feliz"

Seu primeiro papel na televisão poderia ter marcado a história da teledramaturgia ao protagonizar um beijo gay. Porém, Joaquim disse que seu personagem não precisou de um beijo no final para mostrar o sentimento dos dois. “Uma coisa que fiquei muito feliz é que meu personagem não precisou protagonizar o beijo gay, seria uma redundância os dois se beijarem. O sentimento deles ficou visível”, comentou ele, que espera ter agradado na pele de Josué, seu primeiro trabalho na emissora carioca.

Mesmo camarote: Paola Oliveira e Joaquim Lopes e Thaís Fersoza

Joaquim falou também que até as crianças torciam para esse desfecho de seu personagem, pois o amor foi tratado de uma forma natural, sem tratar a homossexualidade de uma maneira clichê. “A homossexualidade é um tema polêmico, mas acho que foi a primeira vez que trataram de forma mais leve. Foi mais natural, então foi uma história de amizade que se transformou em amor. O público e até as crianças viram essa história de uma forma natural e torciam para esse desfecho”, disse.

Apesar de ter vivido um personagem gay, o ator não recebe cantadas de homens nas ruas. Ele acredita que as pessoas não façam isso por terem conhecimento de seu relacionamento com a Paola Oliveira. “Não recebo cantada de homem na rua, ou então não percebo. As pessoas sabem do meu relacionamento com a Paola e tenho o feedback em relação ao trabalho”, falou.

Relacionamento com Paola Oliveira

O ator falou ainda sobre o seu relacionamento com Paola Oliveira e comentou que ela quem cuida de seu embelezamento. “Eu não passo cremes, às vezes estou de bobeira ela chega e diz: ‘deixa eu passar um negócio aqui’ e ela passa sem eu perceber’”, falou.

Joaquim disse ainda que ele é o mais organizado do relacionamento, apesar de não considerar a namorada bagunceira. “Olha, sou mais organizado do que ela, mas ela não é bagunceira não. Ela deixa tudo direitinho, mas eu sou mais organizado, cresci com isso”.

Sobre filhos, o ator revelou que tem vontade de ter duas crianças, mas que ainda considera cedo, pois o casal ainda está galgando seu espaço nas artes dramáticas. “Todo mundo tem vontade de ser pai, mas não quero isso para agora. Ainda estamos galgando o nosso lugar na carreira e filho tem que ser uma coisa muito bem planejada. Temos vontade de filhos, sim. Eu penso em ter duas crianças”, concluiu ele, que está em trabalho de divulgação de seu longa “A Professora Muito Maluquinha”, protagonizado por Paola, que está em cartaz em todo o Brasil.

Joaquim Lopes e Paola Oliveira
Photo Rio News
Joaquim Lopes e Paola Oliveira

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.