O apresentador e músico contou ao iG Gente que parou de fumar com ajuda médica

João Gordo:
Reprodução
João Gordo: "Cigarro é pior que heroína"
O médico Dráuzio Varella lançou no último domingo (13) a campanha "Brasil sem Cigarro", no programa "Fantástico". iG Gente pegou carona na causa e mostra a relação dos famosos com o tabaco. João Gordo , músico, apresentador e ex-fumante, por exemplo, falou sobre sua experiência tabagista. Ele já parou de fumar duas vezes na vida.

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

Durante 20 anos, ele fumou três maços por dia. Foi obrigado a parar por complicações de saúde. Em 2000, João foi parar na UTI em decorrência de um derrame pleural. “Fiquei traumatizado, larguei o cigarro assim que o médico disse que eu estava com sangue misturado com nicotina no pulmão”. Durante seis anos, ele se tornou um ex-fumante convicto.

LEIA MAIS: "Parei de fumar de vergonha", diz Dráuzio Varella

 Mas há quatro anos, quando foi fazer rafting na Patagônia, ele ficou nervoso ao cair do bote. Assim que chegou em terra firme, acendeu um cigarro. Daí em diante, passou a fumar escondido. “Comprava um maço de Marlboro, fumava dois e jogava fora. Foi assim durante três anos”, conta ele. Há um ano, João foi em busca de tratamento com um psiquiatra para se livrar do vício. “Precisei de ansiolítico para controlar o impulso. Cigarro é pior que heroína. Costumo dizer que cigarro é um pirulito de câncer.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.