Performer conta, ainda no CTI, como está se recuperando do infarto que teve há uma semana

O telefone demora para ser atendido. Após oito chamadas, do outro lado da linha, atende uma voz embargada, em tom baixo, quase sussurrante. Isabelita dos Patins ainda está no Centro de Tratamento Intensivo do Instituto Nacional do Coração, no Rio de Janeiro. “Estou falando com você de pijama, a voz está baixinha porque não posso falar ao celular. Se as enfermeiras virem, podem reclamar”, explica o performer argentino que há 42 anos mora no Rio de Janeiro e tem Jorge Omar Iglesias como nome de batismo.

Leia também: Isabelita dos Patins recebe alta hospitalar

Sempre desfilando de patins pelos eventos, rosto totalmente pintado e de vestidos curtos, Isabelita teve que passar por uma cirurgia para desobstruir as veias do coração . Mesmo após o susto, ela mantém o bom humor. “Foi excesso de purpurina nas veias”. Em alguns momentos, interrompe no meio as respostas para respirar mais profundamente. Em outras, é a emoção que freia suas frases. Principalmente quando faz questão de agradecer o carinho que tem recebido de políticos, artistas e personalidades da sociedade carioca. “Quando vi Marília Pêra entrando aqui no CTI, quase tive outro infarto. Nunca pensei que ela ia sair de casa para vir me visitar”, diz.

Isabelita sem maquiagem:
Vera Donato/ Divulgação
Isabelita sem maquiagem: "Não faltaram glamour e alegria neste CTI"

iG: Como está seu estado de saúde?
Isabelita dos Patins:
Estou falando com você de pijama. A voz está baixinha porque não posso falar ao celular. Se as enfermeiras virem, podem reclamar. Graças a Deus agora estou bem, ainda me recuperando no CTI. Não está acertado se terei alta nesta quinta ou quinta, vai depender de alguns exames. O certo é que vou ficar guardadinha na gaveta por, pelo menos, quatro ou cinco meses.

iG: O que você teve exatamente?
Isabelita dos Patins
: Foi excesso de purpurina nas veias do coração. Tive que fazer um pequeno procedimento para desentupir as veias. Estou começando a engatinhar de novo. Quando estava voltando para casa, após uma sessão de fisioterapia, senti muita dor na cabeça e no lado esquerdo do corpo. Todo mundo achou que fosse gases. Peguei o metrô, o ônibus, e fui para casa, em Vila Isabel (zona norte do Rio). Troquei de roupa e fui na vizinha. A dor só aumentava. Daí ela me levou para o hospital.

iG: Em algum momento você ficou desacordado?
Isabelita dos Patins: Fiquei lúcido o tempo todo. Deram doses altas de morfina em mim. Mas eu vi tudo. Estive consciente o tempo todo. A minha gratidão é para cada um que me ajudou neste momento tão difícil.

iG: Teve medo de morrer?
Isabelita dos Patins
: Sim, tive. Apesar de saber que um dia isso terá que acontecer. Mas é que moro sozinho, há 42 anos no Rio. Não fiz nem testamento. Por isso não queria partir agora.

iG: Você tem bens?
Isabelita dos Patins : Quem é que tem dinheiro hoje em dia no País? Tenho pessoas que estão me ajudando, vou poder ficar pelo menos um período parado. Mas não posso ficar à toa por muito tempo. A minha mala de shows pesa 30 kg, só os patins pesam 6 kg. Médicos me proibiram de usar patins por enquanto.

iG: Quem está pagando seus gastos no hospital?
Isabelita dos Patins:
Olha, não tenho palavras para agradecer a prova de carinho. Jayder Soares , patrono da Grande Rio, o prefeito do Rio e o secretário de saúde intercederam para que eu viesse ao Instituto Nacional de Cardiologia. Agradeço também às visitas que recebi.

Isabelita dos Patins
Ag News
Isabelita dos Patins
iG: Quem foi te visitar?
Isabelita dos Patins:
Quando vi Marília Pêra entrando aqui no CTI, quase tive outro infarto. Nunca pensei que ela ia sair de casa para vir me visitar. Que emoção (Isabelita se emociona )! Além de me visitar, fez colaboração na conta bancária. Claudia Jimenez também é uma coisa incrível, me ajudou muito. Ainda estou anestesiado de tanto carinho. É Virgem Maria no céu e Claudia Jimenez na Terra.

iG: Você não esperava que fosse tão querido na classe artística?
Isabelita dos Patins:
Sinceramente? Não fazia ideia. Leda Nagle, Liliane Rodrigues, Teresinha Sodré, Rogéria, Elke Maravilha, Sônia de Paula ... foram varias ligações... ( Isabelita chora ). A passarela global passou aqui pelo CTI. Não faltaram glamour e alegria neste CTI.... Veio até uma amiga que parece a Ana Maria Braga . Foi um ‘fuá’ internacional na hora que ela chegou. Só faltou o Gianecchini . Realmente não sei se ele veio me ver, porque foi tanta visita... ( risos ).

iG: Você vai abandonar os patins?
Isabelita dos Patins:
Por um período sim. Por favor, cita na matéria os nomes de Monique, Monica, dona Teresinha, são todas minhas vizinhas. Elas foram para o meu apartamento e mudaram tudo por lá. Antes era só uma parte do guarda-roupa para o Jorge. Mas quando eu voltar, é o Jorge que vai morar lá. Reformaram tudo. Isabelita está dentro de um caixote por tempo indeterminado. Quero descansar.

iG: A novela “O Clone”, na qual você fez participação, está sendo reprisada pela Globo. Quer voltar a fazer TV?
Isabelita dos Patins
: A gente vai ficando descartável, não chamam mais porque nos acham velhas. Eu não canto, não dublo, sou apenas um personagem. Eu apareci no ‘O Clone’, foi ótimo, mas quero mais. Por que não me aproveitam para um comercial de camisinha ou sobre turismo no Rio? Se eu tivesse um Eike , um Ronaldinho da vida, estava milionário. Mas não, não vivo só de tapinha nas costas. Preciso trabalhar porque sou sozinho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.