Em entrevista emocionada ao Fantástico, ator falou sobre o tratamento para a cura do câncer. "Acredito na força da vida", disse

Reynaldo Gianecchini e Patricia Poeta
Divulgação/TV Globo
Reynaldo Gianecchini e Patricia Poeta
Reynaldo Gianecchini falou pela primeira vez na televisão como está sendo conviver com o linfoma non-Hodgkin , tipo de câncer que descobriu ter em agosto deste ano . O ator deu uma entrevista exclusiva a Patrícia Poeta , que foi ao ar neste domingo (20) no Fantástico, em seu apartamento em São Paulo.

Siga o iG Gente no Twitter e acompanhe todas as notícias sobre sua estrela favorita

Durante a conversa, o ator falou que esse processo de tratamento tem sido de muito aprendizado. "Todos os acontecimentos, depois o fato de perder um pai com essa doença, que eu já sabia que estava antes de descobrir a minha, quando você se depara com a questão da morte e ela tão próxima, você começa a analisar o que você tem de concreto, que é o presente", disse Gianecchini.

Leia Mais: "Gianecchini está numa felicidade louca", diz Claudia Raia

Ele ainda comentou que a morte do pai, apesar de todo mundo achar que foi uma grande tragédia, foi um momento muito lindo em sua vida. "Tive uma despedida maravilhosa do meu pai. No momento que ele ficou inconsciente tive muita vontade de falar com ele, nesse mesmo momento as funções dele começaram a cair e ele se foi. Eu vendo tudo isso, sabendo que aquele momento ele ia embora, comecei a cantar, a beijá-lo. Reafirmei todo o meu amor. Falei que eu ia cuidar da família, perdi perdão e perdoei", relatou.

"Dizia 'mãe, eu não tenho isso, não é possível'. Depois, quando o câncer foi diagnosticado mesmo, falei 'beleza, vamos encarar'"

Descoberta da doença

Gianecchini revelou como foi descobrir a doença, que começou a partir de sintomas banais, como uma alergia e uma garganta inflamada. "É um linfoma raro, muito difícil de diagnosticar", afirmou ele, que lembrou como foi quando recebeu a notícia do câncer: "Dizia 'mãe, eu não tenho isso, não é possível'. Depois, quando foi diagnosticado mesmo, falei 'beleza, vamos embora, vamos encarar'".

O ator contou que os primeiros dias de tratamento foram bem difícieis, mas que ele superou tudo isso fortemente. Ele chegou a passar 26 dias na UTI, por conta de um derramamento de sangue, após colocar o catéter. "Fiz uma operação antes de começar a quimioterapia. Comecei bem debilitado, o começo foi bem tumultuado.", disse.

Leia Também: Gianecchini motiva paciente no hospital: "Tenha força e fé"

"Lembrei muito da cena com Carol Dieckmann"

Gianne contou que quando raspou a cabeça, por conta da quimioterapia, ele lembrou muito da cena que gravou com Carolina Dieckmann , na novela "Laços de Família" (que foi ao ar entre os anos de 2000 e 2001), em que a atriz teve que fazer a mesma coisa, por conta do câncer de sua personagem. "Muito maluco eu estar lembrando disso. Só pensava nisso. Na ficção estava chorando muito, na vida real estava com cara de guerreiro", falou.

"Na ficção estava chorando muito, na vida real estava com cara de guerreiro!"

O ator confirmou que ficou firme desde o início do tratamento, mas que, de vez em quando, bate uma tristeza. "A gente tem esses momentinhos. Tem umas fases que é muito puxadinho o 'negócio'. Ao mesmo tempo, você começa a ver que tá tudo bem".

Ajuda espitiritual e internação recente

Gianecchini também procurou ajuda espitirual para se cuidar, motivado pelo seu pai: "Meu pai fazia tratamentos com amigos espíritas. São os médicos espíritos que vem e dão ajuda na Terra. Fizeram isso comigo. Fisicamente não senti nada, mas senti muita força, uma energia e uma corrente muito boa de amor".

Leia Ainda: Reynaldo Gianecchini recebe alta e comemora seu aniversário em casa

Recentemente, Gianecchini foi parar no hospital. O ator explicou que pegou uma bactéria no pulmão e teve que ir para a UTI ficar em observação. "São percalços do caminho", comentou. "Essa minha jornada no hospital foi particulamente interessante, porque encontrei muita gente esperando transplante, transplantada, com câncer. Cada vez que tem uma superação, tem uma festa.", completou.

Autotransplante e futuro

Em dezembro, Gianecchini fará um autotransplante de medula óssea (no qual não se necessita de doadores, já que o procedimento é feito a partir da medula óssea do próprio paciente) e pareceu estar tranquilo em relação a operação. "Me sinto curado desde o primeiro dia. É engraçado. Eu não jogo essa possibilidade de perder, embora tudo possa acontecer na vida. Eu acredito muito na força da vida!", disse.

Leia Mais: Claudia Raia sobre Gianecchini em Cabaret: "Zerado, ele volta"

"Me sinto curado desde o primeiro dia. É engraçado. Eu não jogo essa possibilidade de perder"

Sobre o futuro, o ator ainda não tem planos: "Eu vou para essa fase do transplante, vai ser complicadinho, porque você fica com a imunidade muito baixa. Depois disso vai dar tudo certo e vou pensar no trabalho", falou.

Patrícia Poeta finalizou a entrevista perguntando qual a primeira coisa que Gianecchini pensa em fazer após a cirurgia. "Entrar no mar", respondeu ele.

O ator se despediu emocionado e agradeceu as mensagens que tem recebido. "Não tenho nem palavras para descrever e nem agradecer todo esse carinho e esse amor. Espero um dia poder retribuir tudo isso".

Reynaldo Gianecchini e Patricia Poeta
Divulgação/TV Globo
Reynaldo Gianecchini e Patricia Poeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.