Alexandre e Jazmin estariam sendo poupados de "uma grande exposição midiática", diz jornal

Charlene Wittstock acompanhando o futuro marido, o Príncipe Albert II, em um dos eventos da realeza
SplashNews
Charlene Wittstock acompanhando o futuro marido, o Príncipe Albert II, em um dos eventos da realeza
Os dois filhos ilegítimos que o Príncipe Albert II de Mônaco teve de relações não oficiais não comparecerão a seu casamento com a ex-nadadora sul-africana Charlene Wittstock , segundo informou nesta quarta-feira o jornal "Le Figaro". A decisão foi tomada para não submeter Alexandre Coste , nascido em agosto de 2003 em Paris, e Jazmin Grace Grimaldi , nascida em 1992, a "uma grande exposição midiática", detalha o jornal conservador.

Alexandre e Jazmin foram reconhecidos oficialmente pelo príncipe, mas nenhum dos dois tem direitos sucessórios por terem nascido fora de um casamento católico, como exige a legislação do Principado. Estes novos detalhes vazaram a dois dias da cerimônia civil e a três da religiosa, enquanto ainda se comenta a suposta tentativa de retorno de Charlene ao seu país natal.

A revista "L'Express" divulgou nesta semana a suposta intenção da noiva de anular o casamento após descobrir que a vida do príncipe "não é tão exemplar como imaginava", e novos meios de comunicação se somaram a essa crescente polêmica midiática especulando sobre os motivos dessa mudança de ide ia. O "Le Figaro" reproduziu nessa quarta-feira (28) uma mensagem divulgada no Twitter no sábado passado na qual um jornalista não identificado sugere que três semanas antes teria nascido um terceiro filho de Albert II.

À espera que alguém apresente provas conclusivas, o que toda a imprensa concorda é que se os supostos problemas de Charlene se propagaram tão rápido pelo Principado, é porque "todos perceberam há semanas seus olhares ausentes". "Estamos longe dos olhares de apaixonados trocados por Kate e o príncipe William", conclui "Le Figaro", segundo o qual os cidadãos de Mônaco receberam entre perplexos e curiosos este novo escândalo da família Grimaldi.

O Palácio do Principado emitiu nesta terça-feira uma nota para desmentir "oficialmente as falsas alegações" da "L'Express" e afirmar que seu objetivo não era outro senão prejudicar a imagem de Albert II e, em consequência, a de sua noiva. Em uma tentativa de minimizar o escândalo, o casal apareceu nesta terça-feira nos ensaios do concerto que o francês Jean-Michel Jarré oferecerá na sexta-feira (01), e exibiu sorrisos aos fotógrafos e presentes.

Mas segundo afirma o diretor-adjunto da revista "Paris Match", Régis Le Sommier , em declarações divulgadas pelo jornal "Le Parisien", "é impossível negar todos estes rumores", e "algo realmente aconteceu no aeroporto de Nice".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.