Faheem Muhammad contou no tribunal que as crianças estavam em estado de choque e que Paris se deitou no chão, chorando

selo

Testemunhando no julgamento do médico Conrad Murray por homicídio culposo, em Los Angeles, o segurança Faheem Muhammad disse que Paris e Prince estavam no quarto enquanto Murray, suando e muito nervoso, tentava ressuscitar o cantor.

Paris e Prince Michael, filhos de Michael Jackson, viram o pai morrer segundo segurança do cantor
Getty Images
Paris e Prince Michael, filhos de Michael Jackson, viram o pai morrer segundo segurança do cantor
Muhammad contou no tribunal que as crianças estavam em estado de choque e que a menina se deitou no chão, chorando. Momentos depois, de acordo com o segurança, o médico perguntou se alguém ali sabia técnicas de reanimação cardíaca.

O testemunho, no segundo dia do julgamento de Murray, buscava esclarecer as circunstâncias do dia em que Murray encontrou Jackson desacordado em junho de 2009. O médico, que nega as acusações, disse que o músico causou a sua própria morte. Se for considerado culpado, Murray pode ser condenado a quatro anos de prisão e a perder sua licença médica.

'Creme clareador'
Outra testemunha ouvida no segundo dia do julgamento foi o assistente pessoal do astro Michael Amir Williams . Ele disse que na véspera de sua morte, Jackson conversou com fãs e participou de um ensaio.
Quando perguntado sobre como foi a performance do cantor, Williams respondeu: "Eu achei que foi a melhor coisa do mundo. Ele me disse que não se dedicava 100% nos ensaios, que era cerca de 40%, mas eu achei que foi incrível."

Foto do corpo de Michael Jackson, divulgada pela promotoria no julgamento do médico do cantor
Reuters
Foto do corpo de Michael Jackson, divulgada pela promotoria no julgamento do médico do cantor


Segundo o assistente, eles voltaram para a mansão de Jackson, onde conversaram novamente com fãs. Williams disse que deu boa noite ao astro e, depois de falar com seguranças, voltou para casa.
No dia seguinte, pouco após o meio-dia, Williams recebeu um telefonema do médico dizendo que o cantor "tinha tido uma reação ruim", mas quando chegou de volta à mansão, o corpo de Jackson já estava sendo colocado em uma ambulância.

O assistente disse ainda que, mais tarde, no hospital, Murray pediu para ser levado de volta à casa do astro para pegar um creme que, segundo o médico, Jackson não gostaria que chegasse ao conhecimento do público.

Especula-se que o creme mencionado fosse um creme clareador para a pele, usado no tratamento de vitiligo. O assistente disse que não levou o médico até a mansão por acreditar que a polícia não gostaria que ninguém voltasse ao local.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.