Conrad Murray foi acusado por Alberto Álvarez de negligência

Alberto Alvarez é escoltado pela polícia antes de prestar depoimento no tribunal de Los Angeles
Getty Images
Alberto Alvarez é escoltado pela polícia antes de prestar depoimento no tribunal de Los Angeles
Leia também : Começa julgamento de médico de Michael Jackson

Um ex-guarda-costas de Michael Jackson declarou nesta quarta-feira (05) que o médico do artista, Conrad Murray , assegurou que o "rei do pop" tinha sofrido uma "reação alérgica" quando o encontrou inerte em na cama no dia de sua morte.

Alberto Álvarez , o primeiro dos membros da equipe de segurança do cantor que chegou a seu quarto no dia 25 de junho de 2009, data de seu falecimento, assegurou que viu Michael caído, sem movimento e com os olhos e a boca aberta.

Segundo seu testemunho, Murray, que se encontrava no local, explicou que o artista tinha tido uma "reação alérgica" e ordenou que colocasse em umas bolsas uma série de frascos e um saco que continha uma substância de cor branca, parecida com leite. Alvarez explicou que uma vez retirados esses produtos, Murray pediu que ele chamasse os serviços de emergência.A versão do guarda-costas confirmaria a teoria da Promotoria que assinala o procedimento errado do médico como responsável pela morte de Michael Jackson.

Conrad Murray, médico acusado da morte de Michael Jackson
AP
Conrad Murray, médico acusado da morte de Michael Jackson
Álvarez testemunhou nesta quarta-feira na Corte Superior do condado de Los Angeles como parte de uma audiência preliminar que começou nesta terça-feira para determinar se Murray será julgado por homicídio involuntário pela morte do "rei do pop".Na terça-feira, Kenny Ortega , produtor dos shows que seriam feitos por Michael em Londres e diretor do filme póstumo do artista, "This Is It", afirmou perante o juiz Michael Pastor que nos dias anteriores à sua morte, o cantor se encontrava em boa forma.

Ortega qualificou os ensaios do dia 23 e 24 como "maravilhosos".A autópsia do "rei do pop" determinou que o cantor morreu vítima de uma intoxicação aguda de anestésicos, principalmente propofol. As autoridades consideram que a substância branca que Álvarez retirou do quarto de Michael era propofol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.