Nesta terça-feira (25), a enfermeira Cherylin Lee deu seu testemunho durante julgamento do médico Conrad Murray

O depoimento emocionado de Cherylin Lee , enfermeira que trabalhava com Michael Jackson , marcou mais um dia do julgamento do Dr. Conrad Murray , no qual ele é acusado de homicídio culposo. Nesta terça-feira (25), Lee não segurou as lágrimas ao relembrar uma das vezes em que o cantor lhe pediu Propofol (Michael morreu em decorrência de uma overdose pelo medicamento).

Siga o iG Gente no Twitter e receba as notícias das celebridades em tempo real

Após ouvir o pedido do astro, Lee o questionou: “Eu entendo que você precise de uma boa noite de sono, mas e se você não acordar?”.

Durante seu testemunho, ela ainda falou sobre a última vez que ouviu a voz do cantor, quatro dias antes de sua morte, em 25 de junho de 2009. Lee recebeu uma ligação urgente de Faheem Muhammad , segurança de Jackson. Durante o telefonema, a enfermeira conseguiu escutar Michael dizendo: “Conte à ela o que está acontecendo comigo... metade de meu corpo está quente, metade está frio”. Lee solicitou que Muhammad levasse Michael ao hospital imediatamente.

A enfermeira Cherylin Lee se emociona durante testemunho
Reprodução
A enfermeira Cherylin Lee se emociona durante testemunho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.